A recusa da transfusão de sangue

Colocar a vida humana em 
risco em nome de uma crença: 
prova de fé ou fanatismo 
religioso?

    Uma das mais conhecidas doutrinas do grupo religioso Testemunhas de Jeová é a proibição da transfusão de sangue. Tal prática é seguida e respeitada por seus membros desde 1945, quando seu Corpo Governante, sob o comando de Nathan Knorr, assim determinou, sendo que, antes disso, seu próprio fundador, Charles Taze Russel – falecido em 1916 -, chegou a defendê-la, e Joseph Franklin Rutheford, seu sucessor – falecido em 1942 -, jamais se pronunciou contra ela. Como bem sabemos, esse grupo é conhecido por suas peculiares regras, muitas vezes extravagantes, as quais eles defendem radicalmente em nome de uma fé baseada no que está escrito em sua Bíblia: a Tradução do Novo Mundo.

Muitos pacientes membros da
seita somente puderam receber
os devidos cuidados médicos
mediante a intervenção da
Justiça, como o caso que
vemos acima (clique para
ampliar e leia o texto)

    Ao longo dos tempos, essa prática tem causado muita polêmica e provocado sérios problemas aos seus praticantes. São muitos os casos de membros da associação que tiveram sérios
agravamentos de doenças e vários outros que chegaram até mesmo a morte por recusarem uma transfusão. Inclusive, alguns profissionais da área da saúde respondem a processos por permitirem a interferência de familiares que os impediram de realizar uma troca de sangue; pois, médicos especialistas, quando tomam uma decisão, têm – ou deveriam ter – total autonomia sobre o paciente para procederem com todas as medidas necessárias exigidas no tratamento priorizando a vida humana, não importando quais princípios religiosos, morais ou sociais isso venha a ferir; e os que se recusam a tomar as medidas corretas – tanto os profissionais quanto os familiares – podem ser devidamente indiciados por omissão de socorro e até mesmo por homicídio.

O sangue – tanto humano quanto 
animal – era derramado na terra 
como símbolo da devolução da 
vida para onde ela veio; porém, 
apesar do sangue não poder ser 
usado como alimento, Deus não o 
proibiu de usá-lo para salvar 
outras vidas

    Biblicamente, as argumentações utilizadas pelos seus teólogos são as seguintes: desde a criação do homem, até o estabelecimento da lei mosaica, e com confirmações no Novo Testamento, as Escrituras Sagradas revelam uma postura divina totalmente contrária a utilização do sangue, porque ele representa a vida e deve ser devolvido a terra. Realmente, não podemos negar essa realidade, mas o que questionamos é a interpretação fora de contexto e a sua aplicação na prática. Analisemos, então, biblicamente essa questão e, para que não pareça haver imparcialidade ou perseguição religiosa, usaremos, além da versão Almeida Revista e Corrigida (ARC), a Tradução do Novo Mundo (TNM); vejamos alguns dos versículos mais utilizados em relação a esse assunto:

  •     Gênesis 9:4

    (ARC)A carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis.
    (TNM)Somente a carne com a sua alma — seu sangue — não deveis comer.

  •     Levítico 3:17

    (ARC) “Estatuto perpétuo é pelas vossas gerações, em todas as vossas habitações: nenhuma gordura nem sangue algum comereis.
    (TNM) “É um estatuto por tempo indefinido para as vossas gerações, em todos os vossos lugares de morada: Não deveis comer nenhuma gordura nem sangue algum.

  •     Levítico 7:27

    (ARC) “Toda a pessoa que comer algum sangue, aquela pessoa será extirpada do seu povo.
    (TNM) “Toda alma que comer qualquer sangue, esta alma terá de ser decepada do seu povo.

  •     Levítico 17:10,11,14

    (ARC) “E qualquer homem da casa de Israel, ou dos estrangeiros que peregrinam entre eles, que comer algum sangue, contra aquela alma porei a minha face, e a extirparei do seu povo. 11Porque a vida da carne está no sangue; pelo que vo-lo tenho dado sobre o altar, para fazer expiação pelas vossas almas; porquanto é o sangue que fará expiação pela alma. 14Porquanto a vida de toda a carne é o seu sangue; por isso tenho dito aos filhos de Israel: Não comereis o sangue de nenhuma carne, porque a vida de toda a carne é o seu sangue; qualquer que o comer será extirpado.
    (TNM) “Quanto a qualquer homem da casa de Israel ou algum residente forasteiro que reside no vosso meio, que comer qualquer espécie de sangue, eu certamente porei minha face contra a alma que comer o sangue, e deveras o deceparei dentre seu povo. 11Pois a alma da carne está no sangue, e eu mesmo o pus para vós sobre o altar para fazer expiação pelas vossas almas, porque é o sangue que faz expiação pela alma [nele]. 14Pois a alma de todo tipo de carne é seu sangue pela alma nele. Por conseguinte, eu disse aos filhos de Israel: “Não deveis comer o sangue de qualquer tipo de carne, porque a alma de todo tipo de carne é seu sangue. Quem o comer será decepado [da vida].

  •     Levítico 19:26

    (ARC) “Não comereis coisa alguma com o sangue; não agourareis nem adivinhareis.
    (TNM) “Não deveis comer coisa alguma com sangue. Não deveis procurar presságios e não deveis praticar a magia.

  •     Atos 15:19,20,29; 21:25

    (ARC) “Por isso julgo que não se deve perturbar aqueles, dentre os gentios, que se convertem a Deus. 20Mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da prostituição, do que é sufocado e do sangue. 29Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da prostituição, das quais coisas bem fazeis se vos guardardes. Bem vos vá. 21:25Todavia, quanto aos que creem dos gentios, já nós havemos escrito, e achado por bem, que nada disto observem; mas que só se guardem do que se sacrifica aos ídolos, e do sangue, e do sufocado e da prostituição.
    (TNM) “Por isso, a minha decisão é não afligir a esses das nações, que se voltam para Deus, 20mas escrever-lhes que se abstenham das coisas poluídas por ídolos, e da fornicação, e do estrangulado, e do sangue. 29de persistirdes em abster-vos de coisas sacrificadas a ídolos, e de sangue, e de coisas estranguladas, e de fornicação. Se vos guardardes cuidadosamente destas coisas, prosperareis. Boa saúde para vós! 21:25Quanto aos crentes dentre as nações, já avisamos, dando a nossa decisão, de que se guardem do que é sacrificado a ídolos, bem como do sangue e do estrangulado, e da fornicação.

Na tentativa de alcançar a cura por 
meio de tratamentos alternativos, 
nem sempre se obtém sucesso: esse
foi o caso de José Mestre, 
Testemunha de Jeová convicto que 
recusou transfusão de sangue e um 
simples tumor que poderia ser 
removido chegou a 15 quilos e o 
deixou cego da vista esquerda

    Como podemos observar – em ambas as versões -, nas cinco referências citadas do Antigo Testamento, a determinação divina fala claramente sobre a proibição de comer sangue, e nas referências de Atos dos Apóstolos, no Novo Testamento, quando falam de se abster das contaminações dos ídolos, as quais consistem em sangue e carne sufocada, ou seja: carne de um animal morto que não teve seu sangue derramado, os textos referem-se a mesma coisa: não comer sangue. Além do mais, essas declarações se referem a sangue animal e não humano; caso contrário, haveria então canibalismo entre o povo de Deus? Como é perfeitamente possível perceber, o verbo comer, e citações diretas a ele, estão explicitamente claras nessas afirmações bíblicas. Literalmente, na lingua portuguesa, o significado da palavra comer é definido como “levar à boca, mastigar e engolir; tomar por alimento. Carcomer, roer, consumir.“; sendo assim, deve-se concluir que somente se considera “comer” o ato de “levar à boca e engolir”. Dessa forma, as interpretações bíblicas que utilizam esses versículos para justificar a proibição da transfusão estão equivocadas, pois esse processo de tratamento consiste em injetar o sangue nas veias por meio de agulhas para suprir uma necessidade vital do organismo e não na boca para exercer uma função alimentar.

A Bíblia é a base de fé e regra de  
conduta de todos os cristãos, mas, 
se for mal interpretada pelas 
lideranças religiosas, em vez de 
conduzir à salvação, pode levar 
ao abismo

    Por que Jeová nos proibiu de comer sangue? Primeiramente, é uma questão de respeito pela vida; pois um animal morto, enquanto tem sangue, ainda está portando dentro de si aquilo que o mantinha vivo: a circulação sanguínea é responsável pela manutenção de toda a sua estrutura orgânica, pois as suas principais funções são transportar oxigênio, coagular em caso de hemorragia e transportar nutrientes. Além disso, outras grandes razões que tornam o sangue indigesto são os fatos de que, além de ter um péssimo sabor, ele é anti-higiênico, sendo nocivo à saúde por conter um alto poder de contaminação; e, quando cessa sua vida,  apodrece rapidamente: seu cheiro torna-se insuportável e ele acaba sendo composto por várias toxinas venenosas. Inquestionavelmente, os princípios divinos estão ligados aos cuidados com a saúde do ser humano; porém, como já observamos em nossa análise linguística, comer nada tem a ver com fazer transfusão.

São várias as histórias de fiéis que 
perderam sua vida em nome de sua 
fé em Deus; não podemos julgar o 
destino dessas almas, porém, o 
preço de cada uma delas será 
devidamente cobrado daqueles que 
as conduziram ao erro

    A transfusão faz-se necessária quando o indivíduo perde uma grande quantidade de sangue, pois a composição sanguínea representa 1/13 do peso total do corpo humano, ou seja: uma pessoa que pesa 65 quilos tem 5 litros de sangue, e ela não consegue sobreviver se perder a metade desse líquido. O processo dessa perda é chamado de dessangramento: ele provoca uma anemia aguda, a qual proporciona graves consequências, inclusive a morte. Quando isso ocorre, o salvamento de sua vida somente é possível através da substituição da quantidade que foi perdida, e a única maneira de fazer essa reposição é através da transfusão.

Com seu sangue Ele nos salvou, 
o que temos feito pela vida do 
nosso próximo?

    As Testemunhas de Jeová – apesar das falhas de interpretação – demonstram ter um grande zelo pelas leis de Deus, incluindo as determinações do Antigo Testamento. Porém, já que – não lhes bastando a graça de Cristo – querem cumprir a lei mosaica, por que não a cumprem literalmente (Gl 5:3,4)? Sei que seria demais esperar que eles apedrejassem os pecadores que possivelmente venham a existir em seu meio (Lv 20:1-27), mas o que nos decepciona é que impedindo o salvamento de vidas, eles estão violando um dos mais nobres mandamentos: “não matarás.” (Êx 20:13; Dt 5:17). Ser contra a transfusão é desrespeitar o grande exemplo dado pelo nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo, pois foi Ele quem fez a maior doação de sangue de todos os tempos (Ef 2:13; 1ª Jo 3:16).

Jonas M. Olímpio

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s