A Verdadeira Motivação do Crente

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 3º Trimestre de 2012 – Lição 13 | AD Belém – Setor 20 (Arujá/SP) – Congr. Pq. Rodrigo Barreto I | Jonas M. Olímpio

O que te motiva a
prosseguir? O sacrifício
de Cristo, cujo objetivo é
a tua salvação, ou as
bênçãos que Ele pode
te dar?

Texto Áureo

    Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e, fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai, que vê em secreto, te recompensará publicamente  (Mt 6:6).
Verdade Prática
    A verdadeira motivação do crente não está na fama ou no poder, mas em viver para glorificar a Cristo.
Leitura Bíblica em Classe
    Marcos 1:35-45 – E, levantando-se de manhã, muito cedo, fazendo ainda escuro, saiu, e foi para um lugar deserto, e ali orava. 36E seguiram-no Simão e os que com ele estavam. 37E, achando-o, lhe disseram: Todos te buscam.38E ele lhes disse: Vamos às aldeias vizinhas, para que eu ali também pregue; porque para isso vim. 39E pregava nas sinagogas deles, por toda a Galiléia, e expulsava os demônios. 40E aproximou-se dele um leproso que, rogando-lhe, e pondo-se de joelhos diante dele, lhe dizia: Se queres, bem podes limpar-me. 41E Jesus, movido
de grande compaixão, estendeu a mão, e tocou-o, e disse-lhe: Quero, sê limpo. 42E, tendo ele dito isto, logo a lepra desapareceu, e ficou limpo. 43E, advertindo-o severamente, logo o despediu. 44E disse-lhe: Olha, não digas nada a ninguém; porém vai, mostra-te ao sacerdote, e oferece pela tua purificação o que Moisés determinou, para lhes servir de testemunho. 45Mas, tendo ele saído, começou a apregoar muitas coisas, e a divulgar o que acontecera; de sorte que Jesus já não podia entrar publicamente na cidade, mas conservava-se fora em lugares desertos; e de todas as partes iam ter com ele.
Admitir a soberania de Jesus
Cristo é aceitar que Ele, sendo
o Bom Pastor, te conduza como
uma ovelha conforme a sua
santa vontade

Introdução

  •          O que te motiva a ser crente?
  •          O que te levou a frequentar a Igreja?
  •          O que é servir a Deus para você?
  •          O Evangelho é cheio de perguntas intrigantes, para as quais os seus adeptos sempre têm respostas óbvias, mas nem sempre sinceras.
  •          Se não tivermos cuidado, as pressões e as influências de nosso meio de convívio nos levam a valorizar mais o materialismo do que a dignidade moral e espiritual.
  •          Os “benefícios” proporcionados pela fama e pelo poder induzem a grande maioria das pessoas a desejar e a lutar de todas as maneiras para não cair ou para sair do anonimato.
  •          Somos apenas instrumentos, por isso, aquEle que nos usa é quem deve aparecer através de nós; pois Ele é quem tudo sabe e tem todo o poder em suas mãos [Jo 3:30,31 – É necessário que Ele cresça e que eu diminua. 31AquEle que vem de cima é sobre todos; aquele que vem da terra é da terra e fala da terra. AquEle que vem do céu é sobre todos.].
A vaidade da vida terrena faz
com que o homem desperdice
seu curto tempo de vida lutando
por conquistas de coisas passageiras
que logo perdem a razão de sua
existência; como você tem
aproveitado o seu tempo?

I – A verdadeira motivação do crente

1. O crente fiel dispensa a vaidade
  •          A palavra vaidade não significa apenas “o que é vão” e “aparência ilusória”, esse termo expressa também uma “valorização que se refere à própria aparência”, ou seja: uma pessoa vaidosa se preocupa exageradamente com a maneira como ela é vista pelas outras pessoas.
  •          A vaidade leva o indivíduo a querer ser admirado e reconhecido; não importam quais sejam as circunstâncias, mas ele “necessita” ser visto e que todos saibam o que ele faz e quem ele é.
  •          O crente realmente motivado a servir a Deus sem interesses próprios não busca a glória para si, mas, diante de tudo o que faz, sem nenhuma cobiça, dá honra àqueles que com ele estão e, primeiramente, a Jesus Cristo.
  •          As coisas dessa vida, embora sejam necessárias, não são tão importantes o suficiente para considerarmo-nas como prioridade; a verdadeira honra não se conquista com soberba, mas sim humildemente e aqueles que confiam em si próprios e em suas posses, além de desonrados, acabam também sendo abatidos [Ec 1:14 – Atentei para todas as obras que se fazem debaixo do sol, e eis que tudo era vaidade e aflição de espírito.
          Pr 15:33 – O temor do Senhor é a instrução da sabedoria, e precedendo a honra vai a humildade.
          Pr 18:11,12 – Os bens do rico são a sua cidade forte, e como uma muralha na sua imaginação. 12O coração do homem se exalta antes de ser abatido e diante da honra vai a humildade.].
O fato de querer aparecer faz
muitos crentes saírem de traz do
muro da proteção divina, o que
os leva a cair porque ficaram
vulneráveis aos ataques do
inimigo

2. O crente fiel não deseja o primeiro lugar

  •          Em Mateus 18:1-4, quando alguns discípulos questionavam quem seria o maior no Reino dos Céus, Jesus mostrou-lhes que a questão mais importante não é nem ser o maior, mas sim chegar ao Reino dos Céus; e, usando um menino como exemplo, deixou ainda bem claro que para isso é necessário tornar-se humilde como uma criança.
  •          Deus é Deus de paz e não de confusão; em situações aonde existe disputas e intrigas ministeriais, pode ter a certeza de que algo está errado.
  •          Existe uma grande diferença entre o chamado por Deus e o escolhido pelo homem: o chamado por Deus aceita sua condição de servo sendo humilde, amoroso, desprendido, misericordioso e anônimo, enquanto que o escolhido pelo homem não admite submissão e costuma ser arrogante, egoísta, ganancioso, vingativo e “exibido”.
  •          A busca desenfreada pelo primeiro lugar expõe seus concorrentes à derrota e a humilhação, sendo que poderiam ser exaltados se simplesmente fizessem por merecer e aguardassem sua vez de serem honrados [Lc 14:7-11 – E disse aos convidados uma parábola, reparando como escolhiam os primeiros assentos, dizendo-lhes: 8Quando por alguém fores convidado às bodas[1], não te assentes no primeiro lugar; não aconteça que esteja convidado outro mais digno do que tu; 9E, vindo o que te convidou a ti e a ele, te diga: Dá o lugar a este; e então, com vergonha, tenhas de tomar o derradeiro lugar. 10Mas, quando fores convidado, vai, e assenta-te no derradeiro lugar, para que, quando vier o que te convidou, te diga: Amigo, sobe mais para cima. Então terás honra diante dos que estiverem contigo à mesa. 11Porquanto qualquer que a si mesmo se exaltar será humilhado, e aquele que a si mesmo se humilhar será exaltado.].
A soberba é uma maligna
doença que atinge a mente
e faz a pessoa pensar que
nunca vai depender de
ninguém pra nada; esse
tipo de comportamento
tem levado muitos à
completa ruína

3. O crente fiel não se porta soberbamente

  •          Soberba[2] é a mistura do orgulho com o desejo de ser superior às demais pessoas; quem tem esse maldito sentimento tanto causa problemas como também sofre pelas consequências dos seus atos;
  •          O soberbo não perdoa, não pede perdão, não tem compaixão, não é fiel, não sabe amar e não honra a Deus; e quando demonstra ter alguma dessas qualidades está agindo com falsidade por conveniência e interesse próprio.
  •          Em vários livros – principalmente no livro de Provérbios -, as Sagradas Escrituras repudiam a soberba mostrando o quanto o Senhor reprova aqueles que agem dessa maneira.
  •          O crente fiel odeia a soberba, pois sabe que ela provoca afrontas e contendas; os que falam soberbamente sofrem com as consequências das suas palavras e por esse tipo de comportamento são levados à ruína; o soberbo não pensa antes de falar e agir, e por isso acaba por ser abatido. Ao contrário disso, o homem humilde demonstra ter muito mais sabedoria e colhe os bons frutos de suas virtudes [Pr 8:13 – O temor do Senhor é odiar o mal; a soberba e a arrogância, o mau caminho e a boca perversa, eu odeio.
          Pr 11:2 – Em vindo a soberba, virá também a afronta; mas com os humildes está a sabedoria.
          Pr 13:10 – Da soberba só provém a contenda, mas com os que se aconselham se acha a sabedoria.
          Pr 14:3 – Na boca do tolo está a punição da soberba, mas os sábios se conservam pelos próprios lábios.
          Pr 16:18 – A soberba precede a ruína, e a altivez do espírito precede a queda.
          Pr 21:24 – O soberbo e presumido[3], zombador é o seu nome, trata com indignação e soberba.
          Pr 29:23 – A soberba do homem o abaterá, mas a honra sustentará o humilde de espírito.].
Até que ponto Jesus está realmente
presente nos grandes movimentos
feitos em seu nome? Será que todos
aqueles gritos, pulos e aplausos são
realmente para Ele?

II – Não fomos chamados para a fama

1. O que é fama
  •          Ter fama é estar no centro das atenções: ser visto por todos; essa é uma das armadilhas que Satanás usa para tentar suas vítimas.
  •          O problema não é ter fama, mas sim se submeter à prática de alguns atos ilícitos que geralmente surgem no caminho de quem quer obter sucesso naquilo que faz.
  •          Cada um de nós, com a com a realização da Obra para a qual fomos chamados, estamos satisfazendo a Deus ou ao nosso próprio ego?
  •          Muitos dizem que morreram para o pecado, porém se contradizem com suas atitudes; quem realmente não é mais escravo das coisas desse mundo vive de acordo com a vontade de Cristo, colocando-o em primeiro lugar em tudo o que faz: isso sim é exaltar o seu nome e demonstrar gratidão pelo seu sacrifício [Gl 2:20 – Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim; e a vida que agora vivo na carne, vivo-a na fé do Filho de Deus, o qual me amou, e se entregou a si mesmo por mim.].
O maior problema da propagação
do Evangelho por meio dos
grandes veículos de comunicação
é que, geralmente, o louvor, a
pregação e o Corpo de Cristo
passam a ser mais conhecidos
como show, discurso e platéia

2. O Problema

  •          Está cada vez mais fácil conseguir um espaço na mídia: gravação de CD, produção de DVD, participação em programas de rádio e TV, montagens de sites e blogs, edição de livros e vários outros recursos disponibilizados pelos mais diversos meios de comunicação;
  •          Agora o povo – inclusive o povo de Deus – tem muito mais voz do que antigamente, mas a grande pergunta é: isso é bom ou ruim?
  •          O meio evangélico, a nível mundial, está sendo fortemente afetado pela epidemia da fama; há sim o lado positivo no que se refere à propagação do Evangelho, mas o lado negativo, o qual vem acompanhado dos cada vez mais absurdos escândalos, sempre acaba por ter um peso bem maior na balança.
  •          Não se trata de julgar a espiritualidade de ninguém, mas sim de questionar algumas atitudes; será que Deus tem se agradado de todos os shows, marchas, programas televisivos, encontros, comícios e os demais mega eventos?
  •          Na maioria desses espetáculos, o nome de Jesus tem realmente sido mais exaltado do que a imagem de seus idealizadores?
  •          Nem tudo do que se tem sido apresentado diante de Deus – ou se falado em nome de Jesus – foi feito realmente para Ele ou o tem agradado; você já parou para pensar na seriedade daquilo que faz usando o seu santo nome? Oferecer algo a Deus vai muito além de um culto de rituais, de palavras e de aparências [Ez 44:6-8 – E dize ao rebelde, à casa de Israel: Assim diz o Senhor Deus: Bastem-vos todas as vossas abominações, ó casa de Israel! 7Porque introduzistes estrangeiros, incircuncisos de coração e incircuncisos de carne, para estarem no meu santuário, para o profanarem em minha casa, quando ofereceis o meu pão, a gordura, e o sangue; e eles invalidaram a minha aliança, por causa de todas as vossas abominações. 8E não guardastes a ordenança a respeito das minhas coisas sagradas; antes vos constituístes, a vós mesmos, guardas da minha ordenança no meu santuário.].
O desafio mais difícil para muitos
“servos” tem sido conseguir
entender que o mais importante
não é ser visto pelos homens, mas
sim por Deus que é o único que
pode recompensar com muito
mais do que simples elogios e
aplausos

III – O anonimato não é sinônimo de derrota

1. A verdadeira sabedoria
  •          Em Eclesiastes 9:6-18, nos deparamos com a história de um sábio que salvou sua cidade da invasão de um rei inimigo; porém, esse herói acabou sendo logo esquecido pelo povo. Agora reflita: será que o anonimato diminuiu o valor da sua ação? Ele perdeu alguma coisa com isso? De onde devemos esperar a maior de todas as recompensas?
  •          Quem age com sabedoria não se preocupa com o que os tolos pensam; pois ele sabe analisar cada situação, absorver apenas o que for útil de cada opinião e executar suas decisões apenas no momento certo.
  •          Deus capacita o homem para isso; mas, muitas vezes, o que o impede de agir com sabedoria é a vontade de aparecer, ser aplaudido e tirar vantagem da situação: isso o leva a dar ouvidos a opiniões inconvenientes e temer as críticas dos que se sentem desfavorecidos; afinal, quem quer status não pode desagradar a maioria e muito menos os poderosos.
  •          Conforme vemos em Atos 12:23, o rei Herodes (Agripa I) recebia a exaltação do povo como se ele fosse Deus; nessa atitude de arrogância, de querer a glória para ele em vez de dá-la ao Senhor, demonstrando muita falta de humildade e sabedoria, ele sofreu um terrível castigo: foi devorado vivo por vermes, de dentro para fora sentindo uma dor terrível antes de morrer [At 12:22,23 – E o povo exclamava: Voz de Deus, e não de homem! 23No mesmo instante, feriu-o o anjo do Senhor, porque não deu glória a Deus; e, comido de bichos, expirou.].
Jesus Cristo nos ensinou que
estamos aqui para servir e não
para sermos servidos; aqueles
que não conseguem entender ou
aceitar o Evangelho como ele
realmente é, precisa,
urgentemente, nascer de novo

2. A simplicidade

  •          No mundo atual – inclusive dentro da igreja – a simplicidade está cada vez mais fora de moda: muitos professam serem seguidores de Cristo, porém, sua falta de simplicidade os deixa muito longe de serem verdadeiros discípulos.
  •          O Senhor Jesus foi quem mais deu exemplos de simplicidade: as multidões o seguiam, mas em vez de atendê-las nos lugares públicos dos centros das grandes cidades, Ele retirava-se para o deserto; em alguns milagres que realizou, Ele pediu que as pessoas não contassem a ninguém que aquela foi uma obra sua; quando os soldados do governo romano o prenderam, foi necessário que Judas o identificasse, porque nem mesmo aqueles que o perseguiam o conheciam.
  •          Ele sabia que a fama atrapalharia o seu ministério e queria que permanecessem ao seu lado apenas os que realmente queriam segui-lo e também aqueles que faziam parte de seu propósito para que Ele fosse sacrificado em favor da humanidade.
  •          A simplicidade não pode ser confundida com ingenuidade: ser simples não é ser bobo; ser simples – para aqueles que têm a sabedoria dada por Deus – é ser prudente [Mt 10:16 – Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes e símplices como as pombas.].
Atitudes equilibradas impulsionam a
pessoa ao sucesso, motivando-a a
lutar cada vez mais pelos seus
objetivos; por outro lado, a falta de
equilíbrio faz o indivíduo desistir
em poucas tentativas por se achar
incapaz ou correr demais e se
cansar antes do tempo

3. O equilíbrio

  •          Viver o Evangelho significa renunciar a muitas coisas e “pegar a sua cruz” para seguir a Cristo: isso inclui não correr atrás da fama, pois o sucesso – quando tem que acontecer – só depende de uma coisa: colocar-se na posição em que o Senhor o quer para  que as promessas se cumpram em sua vida.
  •          Ser um cristão equilibrado é não ultrapassar os próprios limites tentando cumprir metas impostas pela exigência do sucesso e nem desanimar perante as dificuldades desistindo dos seus ideais.
  •          A principal missão de um crente não é fazer grandes coisas, mas sim procurar saber aquilo que Deus quer que ele faça e cumprir suas tarefas com dedicação e amor, usando de sabedoria para não falhar e nem exagerar indo além de seus limites.
  •          Se os sentimentos que nos movem a fazer algo estão fora dos padrões cristãos ensinados na Bíblia, precisamos retornar à estaca zero, procurar o ponto de equilíbrio e começar a construir novamente nossos projetos com uma fundação mais firme e segura.
  •          O equilíbrio é um fator essencial para alcançar aqueles que não creem na Palavra do Evangelho; os incrédulos são carentes e precisam ver em nossa vida que nós conseguimos encontrar tudo aquilo que eles mais necessitam; o que você tem oferecido às pessoas a sua volta [Cl 4:5,6 – Andai com sabedoria para com os que estão de fora, remindo o tempo. 6A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um.]?

O crente que é realmente motivado
pela verdadeira Palavra do
Evangelho não deixa que nada o
afaste do grande objetivo que o
motiva a lutar: a salvação da sua
alma e de todos aqueles quantos
ele puder alcançar através dos
dons que o Senhor lhe deu

Conclusão

  •          Se a fama – entenda-se como o desejo de se aparecer – for sua motivação para cultuar ou fazer a Obra de Deus, é hora de rever seus conceitos sobre o que significa ser crente.
  •          Embora fazer sucesso e ser reconhecido não seja pecado – desde que haja humildade -, o anonimato não é sinônimo de derrota, mas sim de simplicidade assim como foi o ministério de Cristo e de seus exemplares servos aqui na terra.
  •          Pessoas incrédulas e crentes infiéis não conseguem entender isso, mas a essência do Evangelho não consiste em ser visto, mas em fazer com que todos vejam Jesus Cristo através de nós.
  •          Qual é a motivação que te leva a prosseguir no caminho do Senhor? Nosso verdadeiro objetivo deve ser adorar aquEle que deu sua vida na cruz para resgatar nossa alma do inferno [Fp 3:14 – prossigo para o alvo, pelo prêmio da soberana vocação de Deus em Cristo Jesus.]!
Jonas Martins Olímpio


As Bodas são oficializadas por
meio de alianças; espiritualmente,
nosso noivo está prestes a vir nos
buscar, como está a aliança que
você fez com Ele?

[1]Bodas: Festa de casamento.

[2]Soberba: Manifestação ridícula e arrogante de um orgulho às vezes ilegítimo. Altivez, arrogância, sobrançaria. Orgulho, presunção. Ao contrário de humildade.
[3]Presumido: Arrogante; orgulhoso.

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 3º Trimestre de 2012 – Lição 13 | AD Belém – Setor 20 (Arujá/SP) – Congr. Pq. Rodrigo Barreto I | Jonas M. Olímpio

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s