"Com roupa normal estou vestido, mas com terno estou revestido!"

O que pode haver de tão
especial numa roupa a
ponto de transformar seu
usuário em um santo
homem de Deus?

     Parece brincadeira, mas foi isso mesmo que eu ouvi um obreiro dizer numa vigília: “Irmãos, quando estou de roupa normal estou vestido, mas quando estou de terno estou revestido!“. E sabe o que é pior? Essas tremendas “revelações doutrinárias” são mais comuns do que se pensa! Pois muitos “homens e mulheres de Deus” são tão “santos” que conhecemos histórias de irmãos que dormiam de paletó e gravata, e irmãs que tomavam banho de roupa para “Deus não vê-las nuas” – santa ingenuidade -, dizendo que estão esperando a volta de Jesus. Não sou tão velho assim, e me lembro que na minha infância televisão era coisa do Diabo, jogar bola era um terrível pecado e as mulheres – até mesmo as crianças – não podiam nem pensar em usar calças compridas ou aparar a pontinha do cabelo. Usar um par de brincos e pintar as unhas então, nem pensar! E quem praticasse tais “atos tão horrendos” tinha que pedir perdão senão não poderia participar da Ceia e era indigno também de participar dos cultos de doutrinas, ficando disciplinado por um determinado tempo.

A vida de muitos dos obreiros
radicais não condiz com aquilo
que eles pregam nos púlpitos;
antes de querer consertar vidas
alheias, precisamos analisar se
já conseguimos consertar o
nosso próprio lar

    Fatos como esse – que ainda acontecem – são reflexos de “doutrinas” conservadoras extremamente autoritárias sem nenhum
fundamento bíblico, implantadas por algumas igrejas no início do século passado, num período em que até mesmo os incrédulos usavam somente roupas socias; ou seja: essas vestimentas não foram adotadas como sinal de santidade e sim como adequação ao estilo de comportamento considerado decente pela sociedade na época. Assim como ocorre também na área do louvor: pessoas com esse tipo de pensamento condenam a mistura de vários estilos na adoração, achando que música, para ser considerada sacra, tem que ser lenta e com ritmo fúnebre, senão não é recebida por Deus.

Quem nunca recebeu uma “profecia
suspeita”? Essa é uma das
ocorrências mais comuns entre os
extremistas evangélicos; não
chegam a fazer isso por maldade,
mas causam confusão na mente de
muitas pessoas e os resultados,
geralmente, são catastróficos

    E quando os alertamos de que essas coisas são heresias, nos acusam de sermos coniventes com o pecado, sendo que são eles que cometem um dos maiores pecados: desvalorizam o conhecimento da Palavra de Deus; inclusive, a maioria é radicalmente contra a Teologia e até mesmo o uso de esboços de pregação: não têm nehuma humildade para admitir que precisam aprender com seus irmãos; se dizem ser guiados pelo próprio Espírito Santo. Como pode alguém dizer que está agindo sob a direção de Deus sendo que está violando um dos mais simples e básicos princípios bíblicos? Não julgar pela aparência (Jo 7:24)! Acreditar, por exemplo, que a santidade está na roupa revela uma fé legalista baseada no tradicionalismo, e era esse o tipo de comportamento dos fariseus, os quais Jesus corrigiu duramente por várias vezes (Mt 23:16-23). O nosso Senhor quer muito mais do que barulho de “aleluia” e “glória a Deus” (Mt 15:8), Ele quer adoradores sinceros, que não somente falem, mas que vivam de maneira que honre e exalte o seu santo nome (Jo 4:23,24)!

A aparência não significa nada
quando não sabemos quem está por
trás dela; a espiritualidade de
um servo do Senhor não se mede
pelo que ele veste, mas sim pelo
que ele investe espiritualmente
para o desenvolvimento da Obra

     Os santarrões pregam a simplicidade, mas confundem simplicidade com ignorância e radicalismo, e essa mentalidade precisa ser mudada porque tem causado escândalo, fazendo o Evangelho ser motivo de zombaria. Pois eles estão preocupados com as roupas, a prática de esportes, as músicas barulhentas, os meios de comunicação e outras coisas mais, enquanto a Bíblia apenas condena a sensualidade e o uso de roupas de pessoas de outro sexo; não proíbe a convivência, mas a prática de atividades ímpias; nos ensina a louvar com alegria, inclusive os instrumentos musicais usados no Antigo Testamento eram barulhentos e havia danças e palmas; nos ensina e examinar tudo e reter o que é bom, não colocando coisas más diante de nossos olhos e, resumindo, manda que nos abstenhamos das coisas sacrificadas aos ídolos, das comidas ilícitas e da prostituição (At 15:29); o que passar disso, é encargo além do necessário (At 15:28). De fato, também não posso negar que os irmãos que costumam confundir doutrina com usos e costumes não fazem isso por mal, mas acreditam estarem sendo zelosos dos bons princípios e mandamentos divinos; só que existe um problema: suas atitudes imaturas estão afastando de muitas pessoas a oportunidade de achegarem-se a Deus, porque não conseguem acreditar na autenticidade do Evangelho pregado por aqueles que os julgam pelo que eles aparentam ser e não procuram saber o que eles realmente são. Seja de bermuda, moletom. jeans, calça larga ou terno, o revestimento espiritual está dentro é de cada um de nós desde que saibamos honrar o nome daquEle que nos confiou sua missão de resgatar almas para o seu Reino. Já parou para pensar de onde vem tudo o que você crê, vive e ensina? Cuidado! Muitos pensam estar agradando ao Senhor, mas o estão adorando em vão (Mt 15:9)!

Jonas M. Olímpio

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s