Laodiceia, a Igreja Morna

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 2º Trimestre de 2012 – Lição 9 | AD Belém – Setor 20 (Arujá/SP) – Congr. Pq. Rodrigo Barreto I | Jonas M. Olímpio

A antiga cidade de Laodiceia é
hoje um grande museu a céu
aberto que serve para nos
mostrar que as riquezas desse
mundo não duram para sempre

Texto Áureo

    Mas buscai primeiro o Reino de Deus, e a sua justiça, e todas essas coisas vos serão acrescentadas (Mt 6:33).
Verdade Prática
    A igreja que não busca os interesses do Reino de Deus está fadada ao fracasso, ao esquecimento e à indulgência[1] espiritual.
Leitura Bíblica em Classe
    Apocalipse 3:14-22 – E ao anjo da igreja que está em Laodiceia[2] escreve: Isto diz o Amém, a testemunha fiel e verdadeira, o princípio da criação de Deus. 15Eu sei as tuas, que nem és frio nem quente. Tomara que foras frio ou quente! 16Assim, porque és morno e não és frio nem
quente, vomitar-te-ei da minha boca. 17Como dizes: Rico sou, e estou enriquecido, e de nada tenho falta (e não sabes que és um desgraçado, e  miserável, e pobre, e cego, e nu), 18aconselho-te que de mim compres ouro provado no fogo, para que te enriqueças, e vestes brancas, para que te vistas, e não apareça a vergonha da tua nudez; e que unjas os olhos com colírio, para que vejas. 19Eu repreendo e castigo a todos quantos amo; sê, pois, zeloso e arrepende-te. 20Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e com ele cearei, e ele, comigo. 21Ao que vencer, lhe concederei que se assente comigo no meu trono, assim como eu venci e me sentei com meu Pai no seu trono. 22Quem tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas.
Estruturas de antigos templos
revelam que alí os deuses pagãos
também eram muito idolatrados;
isso também deve ter exercido
grande influência sobre a
igreja que valorizava muito mais
os bens materiais do que os
espirituais

Introdução

  •       A igreja da cidade de Laodiceia era “maravilhosa”: era próspera, farta, bonita e de aspecto atraente para quem a via por fora.
  •          Mas aquEle que verdadeiramente tudo sabe e tudo vê, a conhecia e nela via aquilo que ninguém enxergava: a desgraça, a miséria, a pobreza, a cegueira e a nudez.
  •          Seus excessivos bens materiais nada significavam devido a sua grande carência espiritual.
  •          O mesmo Jesus que a reprovou mantém ainda sua postura de pureza e santidade e continua não tolerando a incredulidade e o pecado.
  •          As riquezas, quando começam a exercer domínio sobre o coração do homem, em vez de bênção, se tornam uma maldição [Tg 5:1-3 – Eia, pois, agora vós, ricos, chorai e pranteai por vossas misérias, que sobre vós hão de vir. 2As vossas riquezas estão apodrecidas, e as vossas vestes estão comidas da traça. 3O vosso ouro e a vossa prata se enferrujaram; e a sua ferrugem dará testemunho contra vós e comerá como fogo a vossa carne. Entesourastes para os últimos dias.].
Sobre esse chão desgastado pelo
tempo, aconteceram muitas
histórias que somente a
testemunha fiel e verdadeira
deve conhecer; dessa mesma
maneira, há muitas coisas da
nossa vida que somente Ele sabe,
e assim devemos cuidar para que
as nossas obras, palavras e
desejos sejam puros, pois um
dia Ele trará à tona tudo aquilo
que pensamos estar em oculto

I – A identificação de Jesus

1. A testemunha fiel e verdadeira
  •          Ao pastor da igreja de Laodiceia Jesus apresentou-se como o “Amém[3]”, a “testemunha[4] fiel e verdadeira” e o “princípio da criação de Deus”.
  •          Não há relatos de que os crentes de Laodiceia fossem perseguidos pelo Império Romano – como foi a grande maioria das igrejas -, mas seu maior inimigo estava dentro do coração da maioria de seus membros: a ganância pelo enriquecimento.
  •          O fato de essa igreja não ter sido perseguida pode também ser relacionado à mensagem que ela pregava; prosperidade é um tema que não incomoda o inimigo. A maioria das outras igrejas era perseguida porque pregava a existência de um outro Reino e de um Rei eterno, e isso preocupava as autoridades romanas;
  •          Vemos isso se refletir no cenário do Evangelho atual: as igrejas que pregam o materialismo e a “liberdade” são elogiadas pelos incrédulos e conseguem um bom espaço na mídia, enquanto que as que pregam a salvação e a mudança do modo de viver são caluniadas e deixadas de lado pela maioria dos órgãos de divulgação.
  •          Então o Senhor Jesus revelou-se como a “testemunha fiel e verdadeira”; testemunha é quem, perante o tribunal, fala aquilo que viu. Dessa forma, Ele estava lhe dizendo que poderia testificar contra ela no tribunal divino.
  •          Esse papel de testemunha também se estende à toda a sua igreja, no objetivo de defender o Evangelho contra as heresias ensinadas por falsos mestres.
  •          Como testemunhas devemos também testificar ao mundo contra Satanás que diz que não há salvação; pois ele é mentiroso e já está condenado.
  •          Ser testemunha do Evangelho é muito mais do que falar que conhece a Cristo, testemunhar as Boas Novas é viver de acordo com o que Ele nos ensina [Tt 1:16 – Confessam que conhecem a Deus, mas negam-no com as obras, sendo abomináveis, e desobedientes, e reprovados para toda boa obra.].
As cisternas de água morna de
Laodiceia hoje estão secas.
Isso é o que acontece com os
que não cuidam da qualidade da
água de sua fonte espiritual:
por mais que ela pareça ser
abundante, se não tiver a
bênção do Criador, a qualquer
momento irá secar

2. O princípio da criação de Deus

  •          O texto de Apocalipse 3:17 deixa bem claro que a mensagem básica dos pregadores de Laodicéia era a prosperidade material; ter alcançado riquezas os fazia pensar que não precisavam de mais nada.
  •          Porém, apresentando-se como o “princípio da criação de Deus”, Cristo estava lhes dizendo que tudo quanto existe foi criado e pertence a Ele.
  •          Naquela igreja, a glória não estava sendo dada ao seu santo nome, mas sim aos bens que eram conquistados em nome dEle.
  •          A maior riqueza de uma igreja não é possuir mega templos, programas de televisão, pregadores que “fazem cair fogo do céu” e nem promoções de grandes eventos que conquistam multidões – apesar que nada disso é proibido se for feito realmente sob a direção de Deus -, a maior riqueza de uma igreja está na simplicidade de libertar vidas oprimidas pelo Diabo.
  •          Jesus Cristo é o criador de todas as coisas; portanto, tudo o que temos, devemos a Ele [Jo 1:1-3,14 – No princípio, era o Verbo[5], e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. 2Ele estava no princípio com Deus. 3Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez. 14E o Verbo se fez carne e habitou entre nós, e vimos a sua glória, como a glória do Unigênito do Pai, cheio de graça e de verdade.].
O crente espiritualmente morno
pensa estar no caminho certo,
porém suas atitudes são tão
repugnantes diante do Senhor que
o fazem passar mal a ponto de
vomitar; você já parou para
refletir se o seu sabor é
agradável ao paladar divino?

II – A situação espiritual da igreja de Laodiceia

1. Mornidão espiritual
  •          Sabe qual é o problema em ser morno? O morno é “confundido” com o quente e não parece estar frio. Traduzindo: o crente morno aparenta ter um bom nível espiritual, e ele próprio não acredita estar fora da vontade do Senhor;
  •          A religiosidade do morno o cega de uma tal maneira que ele não enxerga a diferença entre a alegria por coisas passageiras e a felicidade por ser cheio do Espírito Santo.
  •          O crente morno, geralmente, acha que é exagero perseverar na busca de crescimento espiritual, e se apega à homens que lhe mostram um “evangelho” mais fácil, se prendendo a “amuletos de sorte” que substituem a consagração de sua vida por sacrifícios de votos em troca de bênçãos.
  •          A vantagem do frio é que ele admite que está espiritualmente apagado porque não sente mais nada e, dessa forma, sabe que tem a necessidade de se aquecer, ou seja: reconciliar-se com o Pai.
  •          Sabe qual é o verdadeiro que Deus aceita? Uma adoração sincera oferecida com um coração quebrantado [Sl 51:15-17 – Abre, Senhor, os meus lábios, e a minha boca entoará[6] o teu louvor. 16Porque te não comprazes em sacrifícios, senão eu os daria; tu não te deleitas em holocaustos[7]. 17Os sacrifícios para Deus são o espírito quebrantado[8]; a um coração quebrantado e contrito[9] não desprezarás, ó Deus.].
O que sobrou desse templo de Zeus
mostra que não só os cristãos, mas
também os idólatras pagãos eram
soberbos e gostavam de exibir suas
riquezas na grandeza de suas
construções

2. Arrogância espiritual

  •          Um sério problema daquela igreja era a arrogância[10]: pelo fato de terem alcançado prosperidade material achavam que não precisavam de mais nada.
  •          Esse tipo de afirmação revela uma personalidade influenciada pelo maligno, pois era o sentimento de Satanás quando se rebelou[11] contra Deus, conforme vemos em Isaías 14:13,14: “E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, e, acima das estrelas de Deus, exaltarei o meu trono, e, no monte da congregação, me assentarei, da banda dos lados do Norte. Subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo.”.
  •          Aquele que tem verdadeiramente a Deus como pai, deixa refletir em sua vida o mesmo comportamento de Jesus quando esteve aqui na terra: mansidão e humildade.
  •          Confiar em bens materiais e amá-los como se fossem a razão de sua vida afastam o homem de Deus, porque são frutos da soberba e provém do maligno [1ª Jo 2:15-17 – Não ameis o mundo, nem o que no mundo há. Se alguém ama o mundo, o amor do Pai não está nele. 16Porque tudo o que há no mundo, a concupiscência[12] da carne, a concupiscência dos olhos e a soberba[13] da vida, não é do Pai, mas do mundo. 17E o mundo passa, e a sua concupiscência; mas aquele que faz a vontade de Deus permanece para sempre.].
Pelos teatros da cidade, certamente
deve ter passado muita imoralidade
e idolatria; aonde estavam os
cristãos para evangelizar aquele
povo? Certamente estavam muito
ocupados usufruindo de suas riquezas

3. Falta de percepção do próprio eu

  •          O que falta em muitos evangélicos é acordarem para a vida e perceberem quem são realmente diante de Deus.
  •          Há muitas pessoas se achando capazes de comprar até a chave da porta do céu, sendo que não passam de pobres mendigos espirituais.
  •          A nudez é a vergonha máxima para uma pessoa digna e decente; estar espiritualmente nu é passar pelo vexame de ter sua verdadeira personalidade revelada diante daqueles que o vê com bons olhos.
  •          Há muitos crentes nus dentro da igreja – e não estou falando de sensualidade – e, infelizmente, estão faltando homens e mulheres de verdade para dizer o que estão vendo sem ter medo da reação daqueles que se consideram intocáveis.
  •          A Bíblia nos ensina a não tolerar os falsos crentes não debatendo com eles, mas procurando admoestá-los[14] e, caso não nos ouçam, o melhor é evitá-los – é importante também deixar claro que evitá-los não significa expulsá-los da igreja, e sim não lhes deixar assumir responsabilidades e nem tentar forçá-los a se consertarem[Tt 3:9-11 – Mas não entres em questões loucas, genealogias e contendas e nos debates acerca da lei; porque são coisas inúteis e vãs. 10Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o, 11sabendo que esse tal está pervertido[15] e peca, estando já em si mesmo condenado.]?
Todo o ouro comercializado
naquela cidade, um dia perdeu o
seu brilho, e a sua prosperidade
não pode salvá-la da destruição;
qual é a riqueza que você está
preparando para o teu futuro?

III – Como reavivar uma igreja morna

1. Ouro refinado pelo fogo
  •          Como cristãos, cremos no milagre da ressurreição; se até os mortos podem ressuscitar, tanto mais o morno pode ser aquecido e até chegar a ferver.
  •          Jesus recomendou àquele pastor que se considerava rico, que adquirisse a verdadeira riqueza comprando dEle o ouro refinado[16] pelo fogo.
  •          O ouro refinado pelo fogo simboliza a riqueza que foi aprovada por Deus; a autenticidade desse precioso metal é comprovada através de testes de resistência a altas temperaturas. No caso dos servos de Deus, eles são aprovados quando vencem as batalhas espirituais do dia-a-dia sem se deixarem levar pelas tentações terrenas.
  •          Para alcançar a aprovação do Senhor é necessário pregar a sua Palavra com sinceridade vivendo de acordo com o que está sendo ensinado, e não se importar se está agradando ou não aqueles que te ouvem [1ª Ts 2:3,4 – Porque a nossa exortação não foi com engano, nem com imundícia, nem com fraudulência[17]; 4mas, como fomos aprovados de Deus para que o evangelho nos fosse confiado, assim falamos, não como para agradar aos homens, mas a Deus, que prova o nosso coração.].
Sua lindíssima paisagem esconde o
triste passado de uma igreja que
não soube valorizar as verdadeiras
riquezas dadas por Deus; que isso
nos sirva de lição para que
saibamos valorizar o precioso
tesouro que é cada oportunidade
que temos de fazer algo pela Obra

2. Vestiduras brancas

  •          É possível imaginar os “afortunados” irmãos da igreja de Laodiceia desfilando pelo templo com suas caríssimas roupas novas: suas mulheres com as mais belas blusas esnobando umas as outras, seus filhos exibindo as últimas marcas de sapato tentando causar inveja aos amiguinhos, e seus obreiros enfeitados com os mais refinados panos da região. Será que essa é uma realidade muito diferente de algumas igrejas atuais?
  •          Mas, espiritualmente, nem roupa eles tinham; pois estavam nus, e o Senhor queria que eles comprassem dEle vestes brancas, ou seja: que lhe pagassem o preço da busca espiritual e passassem a se comportar como servos de Deus dignos de serem chamados de cristãos.
  •          Na Bíblia sempre aparece a expressão “vestes brancas”, porque o branco representa pureza; por exemplo: quem está usando roupas brancas não pode se encostar em qualquer lugar, sentar em bancos empoeirados, ser tocado por pessoas com as mãos sujas, deve ter cuidado quando vai se alimentar e, até para lavar as roupas é preciso muita atenção para não as misturar com outras; pois a cor branca é muito sensível, se mancha com facilidade e qualquer sujeirinha pode ser vista de longe.
  •          A vigilância tem que ser uma atitude obrigatória na vida de um servo do Senhor, pois qualquer deslize pode causar um prejuízo tão grande que nem todo o dinheiro desse mundo poderia pagar.
  •          Para preservar suas conquistas é necessário cuidar para que a humildade e a simplicidade prevaleçam dentro do seu coração [Pr 16:18 – A soberba precede a ruína, e a altivez[18] do espírito precede a queda.].
Ao oeste da cidade existe a
necrópole – mais conhecida
como a cidade dos mortos -,
aonde existe um grande número
de sepulturas aonde eram
colocadas as pessoas mais
ricas. Essa é uma grande
prova de que riquezas não
puderam preservar a vida de
ninguém; e alma de cada um
desses cidadãos, para onde foi?

3. Colírio

  •          Jesus também disse ao pastor de Laodiceia que ungisse os olhos com colírio[19] para que visse; a realidade daquele líder era tão deplorável, que ele nem enxergava mais.
  •          Esse é o mesmo problema de muitos pastores atualmente que estão tão envolvidos com as coisas desse mundo que perderam sua visão espiritual.
  •          Um pastor cego não consegue enxergar os perigos que cercam suas ovelhas, e não consegue dar proteção a elas e nem a ele mesmo.
  •          Muitos acham que apenas os líderes corruptos pagarão pelos seus atos, mas a Palavra de Deus nos mostra que também os seus seguidores sofrerão as conseqüências por terem acreditado neles. Por isso, busque discernimento espiritual para saber se deve confiar em quem está te guiando [Lc 6:39 – E disse-lhes uma parábola[20]: Pode, porventura, um cego guiar outro cego? Não cairão ambos na cova?].
Hoje, os portões da antiga cidade
estão escancarados para quem
quiser entrar, da mesma forma que
a sua igreja de antigamente que
abriu suas portas para o mundanismo.
Uma igreja fiel e verdadeira deve
manter suas portas abertas para o
pecador, mas totalmente fechadas
para o pecado

Conclusão

  •          A igreja de Laodiceia era tão pobre que não tinha mais nada além do seu dinheiro.
  •          O maior exemplo de verdadeira riqueza é o próprio Senhor Jesus que, sendo o dono de todas as riquezas, nasceu numa manjedoura[21], morou num lugar humilde, conviveu com os pobres, trabalhou como qualquer outra pessoa e, quando morreu, foi sepultado num túmulo doado. E nada disso diminuiu o esplendor da sua glória, muito pelo contrário, serviu para exaltá-lo ainda mais!
  •          Há poucos anos atrás, nossos irmãos que nos antecederam não tinham acesso a todo o conforto que temos hoje, mas a chama do Espírito Santo brilhava em seus rostos; devemos lutar incansavelmente para que não precisemos perder o que conquistamos para voltar – ou para manter – acesa a maravilhosa chama do primeiro amor.
  •          O Senhor cuida de nós! Apenas se preocupe em cumprir a sua vontade, pois o que tiver de ser, será [Mt 6:33 – Não vos inquieteis, pois, pelo dia de amanhã, porque o dia de amanhã cuidará de si mesmo. Basta a cada dia o seu mal.]!
Jonas M. Olímpio

Laodiceia tinha um sofisticado
sistema de abastecimento de
água, porém ele não era
perfeito, pois a água chegava
morna à cidade. Jesus usou esse
fato como exemplo para
descrever aquela igreja. Pense
bem, que tipo de exemplo Ele
poderia usar para descrever a
tua igreja ou a você mesmo?

[1]Indulgência: Qualidade de indulgente. Clemência. Condescendência, tolerância. Remissão total ou parcial das penas relativas aos pecados. Perdão. Absolvição plena das penas temporais.

[2]Laodiceia: Hoje com o nome de Pamucale (Pamukkale), Laodiceia foi uma das mais prósperas cidades da Frígia, durante a época romana. Possuía bancos, indústria têxtil e uma escola de medicina que produzia colírio para os olhos, embora tivesse problemas com o abastecimento de água. Em certa ocasião, foi construído um aqueduto que transportava as águas térmicas vindas de Hierápolis (cerca de dez quilômetros). Porém, quando a água chegava na cidade, não estava nem quente e nem fresca, mas apenas morna. A cidade é citada algumas vezes no Novo Testamento da Bíblia, na qual São Paulo esteve em sua terceira viagem missionário, sendo também mencionada entre as sete igrejas (da Ásia) do livro Apocalipse (Ap 3:14-22), considerada como uma igreja morna quanto à sua atividade, como uma metáfora à temperatura das águas que a abasteciam. A cidade foi destruída no ano 494dC por um grande terremoto; foi aí que teve início o declínio de sua grande prosperidade.
[3]Amém: Palavra hebraica que quer dizer “é assim” ou “assim seja”. Também pode ser traduzida por “certamente”, “de fato”, “com certeza”  (Dt 27.15). É usada como um título para Cristo, que é a garantia de que Deus cumprirá as promessas que fez ao seu povo  (Ap 3.14).
[4]Testemunha: Pessoa que assiste a determinado fato contestado, ou dele tem conhecimento, e é chamada a juízo a fim de depor desinteressadamente sobre o que souber a respeito desse fato.
[5]Verbo: Palavra (Jo 1:1-14). Jesus é o Logos (1ª Jo 1:1; Ap 19:13), isto é, a Palavra, que é mais do que expressão falada: é Deus em ação, criando (Gn 1:3), se revelando (Jo 10:30) e salvando (Sl 107:19-20; 1ª Jo 1:1-2).
[6]Entoar: Dar o tom para se cantar. Soar, cantar.
[7]Holocausto: [Grego: queimado]. Sacrifício em que a vítima era consumida pelo fogo.
[8]Quebrantado: Que está sem forças, debilitado, extenuado, abatido, alquebrado.
[9]Contrito: Que tem contrição. Arrependido, pesaroso, triste.
[10]Arrogância: Altivez, insolência, orgulho, presunção.
[11]Rebelar: Fazer rebelião; insurgir-se; se rebelar. Revoltar-se.
[12]Concupiscência: Forte e continuado desejo de fazer ou de ter o que Deus não quer que façamos ou tenhamos (Rm 7:8).
[13]Soberba: Manifestação ridícula e arrogante de um orgulho às vezes ilegítimo. Altivez, arrogância, sobrançaria. Orgulho, presunção. Ao contrário de humildade.
[14]Admoestar: Advertir ou aconselhar amigável ou benevolamente; fazer ver. Censurar ou repreender suavemente, aconselhando a não repetir a falta. Recomendar.
[15]Pervertido: Que se perverteu. Corrupto, depravado, desmoralizado. Quem se entrega a atos sexuais inaturais.
[16]Refinado: Apurado, requintado. Perfeito, completo, rematado.
[17]Fraudulência: Fraude, astúcia, engano.
[18]Altivez: Qualidade do que é altivo (Alto, elevado. Nobre, magnânimo. Orgulhoso, arrogante).
[19]Colírio: Medicamento que se aplica nos olhos.
[20]Parábola: Originária do grego parabole, significa narrativa curta ou apólogo, muitas vezes erroneamente definida também como fábula. Sua característica é ser protagonizada por seres humanos e possuir sempre uma razão moral que pode ser tanto implícita como explícita. Ao longo dos tempos vem sendo utilizada para ilustrar lições de ética por vias simbólicas ou indiretas. Narração figurativa na qual, por meio de comparação, o conjunto dos elementos evoca outras realidades, tanto fantásticas, quando reais. Eram as histórias geralmente extraídas da vida cotidiana utilizadas por Jesus Cristo para ensinar aos seus discípulos. Segundo Marcos 4:11-12, eram utilizadas por Jesus para que somente seus discípulos as entendessem plenamente. Este gênero já era utilizado por muitos dos antigos profetas.
[21]Manjedoura: Tabuleiro em que se coloca comida aos animais no estábulo (local aonde são alojados e alimentados os animais).

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 2º Trimestre de 2012 – Lição 9 | AD Belém – Setor 20 (Arujá/SP) – Congr. Pq. Rodrigo Barreto I | Jonas M. Olímpio

2 thoughts on “Laodiceia, a Igreja Morna

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s