Esmirna, a Igreja Confessante e Mártir

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 2º Trimestre de 2012 – Lição 4 | AD Belém – Setor 20 (Arujá/SP) – Congr. Pq. Rodrigo Barreto I | Jonas M. Olímpio  

    Faça o download dos slides dessa lição

Em meio a riqueza de uma grande
cidade, uma pobre igreja lutava
para sobreviver aos ataques das
impiedosas autoridades do
Império Romano

Texto Áureo

    Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida (Ap 2:10c).
Verdade Prática
    Nada poderá calar a Igreja de Cristo, nem a própria morte.
Leitura Bíblica em Classe
    Apocalipse 2:8-11 – E ao anjo da igreja que está em Esmirna[1], escreve: Isto diz o primeiro e o último, que foi morto, e reviveu: 9Conheço as tuas obras, e tribulação, e pobreza (mas tu és rico), e a blasfêmia[2] dos que se dizem judeus, e não o são, mas são a sinagoga de Satanás[3]. 10Nada temas das coisas que hás de padecer. Eis que o diabo lançará alguns de vós na prisão, para que sejais tentados; e tereis uma tribulação de dez dias. Sê fiel até à morte, e dar-te-ei a coroa da vida. 11Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas: O que vencer não receberá o dano
da segunda morte.
Nas arenas romanas, muitos servos
de Deus deram sua vida em nome
do Evangelho; porém esses tiveram
a salvação de sua alma, enquanto
que do suntuoso Império Romano
somente sobraram as ruínas para
contar a história

Introdução

  •          A nossa Igreja atual enfrenta perseguição? Embora estejamos num país aparentemente tranquilo, a igreja, tanto aqui quanto mundialmente, enfrenta vários tipos de perseguição: tentativas de desmoralização, criação de leis opressoras, discriminação social, interferência nos costumes doutrinários e, em alguns lugares, até mesmo agressão física, prisão e morte para os que não se dobram diante dos falsos deuses.
  •          Esmirna é o perfeito exemplo de martirização[4] cristã: ela pode ser considerada como o rosto ferido e humilhado de Cristo, enquanto que, por exemplo, Laodicéia é uma igreja com a cara do mundo.
  •          Todos aqueles que agradam a Deus, inevitavelmente desagradam ao mundo por não tolerar o pecado; uma igreja bem vista aos olhos dos incrédulos deve se preocupar, porque alguma coisa está errada com ela.
  •          Satanás faz uso de duas estratégias para calar os cristãos: enganá-los, fazendo-os viver pecaminosamente dentro da Casa de Deus ou combatê-los violentamente na tentativa de fazê-los desistir da sua fé.
  •          No caso dos crentes de Esmirna, enganá-los com os prazeres do pecado não foi funcionou porque eles eram  alicerçados na oração e na Palavra de Deus, então o jeito foi tentar derrubá-los através da violência física.
  •          Mas, mesmo diante de seu próprio sangue derramado, eles não se calaram e, a exemplo de Cristo, não temeram a morte, mas venceram-na, mantendo-se firmes até o fim.
  •          Será que temos hoje a coragem de viver esse mesmo exemplo?
  •          Pelas perseguições, assim como pelas demais adversidades que enfrentamos, teremos nossa recompensa na glória [Mt 5:10-12 – Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus; 11Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. 12Exultai [5]e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós.].
A atual cidade de Esmirna mantém
sua fama de grandeza, mas nem
todos sabem, lembram ou dão
valor à importância de seus
mártires, pois não só em Esmirna,
mas em toda a Turquia, menos de
1% da população é cristã

I – Esmirna, uma Igreja mártir

1. Esmirna, uma cidade soberba
  •          Esmirna era uma cidade política e socialmente inferior a Éfeso e também não possuía grandes atrativos.
  •          Sua grande vantagem é que ela estava localizada próximo ao mar Egeu[6], na região sudoeste da Ásia Menor; por ser uma cidade portuária, ela muito se beneficiava do comércio marítimo.
  •          Ali também havia uma alta produção de mirra[7], que é um produto utilizado na conservação de cadáveres.
  •          Esmirna, apesar das dificuldades que enfrentava, era uma cidade muito abençoada; essa é uma prova de que Deus não olha para a aparência, o tamanho, a capacidade ou qualquer outro fator pessoal ou natural, Ele age segundo os seus propósitos. Pois apesar da soberba do povo e das autoridades, havia ali uma Igreja fiel e fervorosa orando por eles [1ª Tm 2:1,2 – Admoesto-te, pois, antes de tudo, que se façam deprecações[8], orações, intercessões, e ações de graças, por todos os homens; 2Pelos reis, e por todos os que estão em eminência[9], para que tenhamos uma vida quieta e sossegada, em toda a piedade e honestidade;].
As ruínas históricas da antiga
cidade são afastadas do centro
da grande metrópole, assim como
o coração daqueles que usam o
glorioso passado cristão desse
lugar apenas para exploração
financeira através do turismo

2. A igreja em Esmirna

  •          Conforme Lucas escreveu em Atos 19:10, tanto judeus como gregos foram evangelizados em toda aquela parte da Ásia por um período de dois anos, enquanto o apóstolo Paulo estava em Éfeso.
  •          O mais provável é que a igreja de Esmirna tenha sido fundada nessa época por Paulo.
  •          Esmirna era uma cidade rica, mas a Igreja era pobre; entretanto, espiritualmente, a cidade era miserável, enquanto que a Igreja era incalculavelmente valiosa.
  •          Entre os seus obreiros, um dos maiores exemplos foi Policarpo[10], que entregou sua vida, mas não negou o nome de Jesus diante da ditadura anticristã do sanguinário Império Romano.
  •          Muitas vezes, por qualquer contratempo, dizemos que estamos sendo perseguidos; mas, quando analisamos a Bíblia, aprendemos com os grandes mártires[11] o que significa realmente perseguição [1ª Co 4:10-13 – Nós somos loucos por amor de Cristo, e vós sábios em Cristo; nós fracos, e vós fortes; vós ilustres, e nós vis[12]. 11Até esta presente hora sofremos fome, e sede, e estamos nus, e recebemos bofetadas, e não temos pousada certa, 12E nos afadigamos, trabalhando com nossas próprias mãos. Somos injuriados, e bendizemos; somos perseguidos, e sofremos; 13Somos blasfemados, e rogamos; até ao presente temos chegado a ser como o lixo deste mundo, e como a escória[13] de todos.].
As barbáries cometidas contra
aqueles pobres inocentes cujo
único “crime” que cometiam era
confessar sua fé em Cristo, não
tiveram um fim em si mesmas, pois
até hoje almas se convertem e
muitos crentes são edificados e
encorajados a continuar batalhando
pela Obra através desses
maravilhosos testemunhos

3. Esmirna, confessante[14] e mártir

  •          Os crentes esmirnenses , mesmo diante do perigo que corriam, confessavam abertamente sua fé.
  •          Eles não somente confessavam servir ao Deus que os judeus tanto falavam, mas também ao seu Filho que é o Rei dos Judeus e de toda a humanidade: aquEle a quem eles – os romanos e os próprios judeus – crucificaram.
  •          Boa parte dos crentes não têm coragem de confessar sua fé nem mesmo diante dos próprios “amigos”, temendo críticas ou zombarias, imagine então diante de ameaças de prisão e morte.
  •          Da mesma forma que aqueles que confessarem o nome de Jesus serão recompensados por Ele, também aqueles que o negarem serão duramente castigados [Lc 12:8,9 – E digo-vos que todo aquele que me confessar diante dos homens também o Filho do homem o confessará diante dos anjos de Deus. 9Mas quem me negar diante dos homens será negado diante dos anjos de Deus.].
As revelações entregues pelo Senhor
Jesus ao Apóstolo João na Ilha de
Patmos tinham não somente o
objetivo de fortalecer as igrejas
daquela época, mas também as de
hoje e as que surgirão até o
arrebatamento

II – Apresentação do missivista

1. O Primeiro e o Último
  •          Jesus é o Primeiro porque sempre existiu antes de todas as coisas, e é o Último porque com Ele está a consumação de tudo e o seu reinado é eterno.
  •          Esmirna, assim como as outras igrejas, vivia sob ameaças de extinção, mas o Senhor apresentou-se a ela como “o Primeiro e o Último, aquEle que foi morto e reviveu”, foi Ele quem venceu a morte e prometeu que os fiéis também ressuscitarão e com Ele viverão eternamente.
  •          Existe alguma razão para temermos a extinção da igreja? Ainda que a igreja seja destruída fisicamente, espiritualmente ela estará de pé, firme e forte em cada um de nós.
  •          Quando Jesus disse a Pedro, em Mateus 16:18, que edificaria a sua Igreja e que as portas do inferno não prevaleceria contra ela, Ele não estava se referindo à igreja física construída por mãos de homens, mas sim à cada um de seus servos.
  •          Jesus disse ao pastor de Esmirna que eles não deveriam temer aos ataques do Diabo e, sem lhes fazer nenhuma promessa de livramento físico, disse que os vencedores seriam aqueles que permanecessem fiéis até a morte.
  •          Com estas palavras, o nosso Senhor está dizendo que Ele está sob o controle de nossa vida; pois o bem ou o mal que atinge os seus fiéis estão dentro de seu propósito para um fim mais glorioso.
  •          Não tema ao seu inimigo, ore para que ele tenha oportunidade de arrependimento assim como você teve.
  •          AquEle que prometeu a coroa da vida aos crentes de Esmirna que continuassem fiéis até o fim é o mesmo que faz essa mesma promessa a nós hoje; e é a sua Palavra que nos garante que além de eterno, Ele também é imutável [Hb 13:8 – Jesus Cristo é o mesmo, ontem, e hoje, e eternamente.].
Foi isolado numa pequena Ilha no
meio do mar Egeu que João teve
um contato mais íntimo com o
Senhor, obteve a visão e pôde se
comunicar com aquEle que foi
morto e reviveu, recebendo
diretamente dEle as mais
preciosas revelações para
alimentar a nossa fé. O inimigo
pode até prender o missionário,
mas não consegue impedir o
cumprimento da sua missão

2. Esteve morto e tornou a viver (Ap 2:8)

  •          Pilatos[15] havia crucificado Jesus com o objetivo de acabar com aqueles “revolucionários” que estavam surgindo e que poderiam representar uma certa ameaça ao governo romano. Mas ele nem imaginava que a sua morte daria é muito mais força a eles, proporcionando assim a oficialização do início do cristianismo.
  •          Quando as autoridades romanas perceberam que aquele “movimento”, em vez de acabar, estava cada vez mais forte, resolveram investir violentamente contra seus adeptos, os cristãos.
  •          Através da carta escrita por João, Jesus alertou o anjo da Igreja que o fato de o Diabo lançar alguns deles na prisão seria para que fossem tentados, ou seja: Ele estava permitindo a tentação do maligno para prová-los; e ainda tem gente pregando por aí que crente fiel a Deus nunca passa por provas.
  •          Mas isso foi para que provassem ao mundo que aquEle de quem eles tanto pregavam que morreu e ressuscitou vencendo a morte, estava com eles para fazê-los vencedores contra Satanás e o inferno. Muitos podem não entender isso, mas naquele Grande Dia, todos verão os mártires cristãos ressuscitados e vivendo gloriosamente ao lado do Maravilhoso Salvador, de quem eles duvidaram ter ressuscitado.
  •          Satanás, através de seus adeptos, apenas pode tirar nossa vida física, se Deus assim permitir, mas, a vida eterna, somente nós mesmos podemos perder se desistirmos de nossa fidelidade àquele que foi crucificado e se mantém fiel a nós.
  •          O que mantém o cristianismo vivo é a promessa feita por aquEle que foi morto e ressuscitou, de que sua Igreja será ressuscitada [Rm 8:11 – E, se o Espírito daquele que dentre os mortos ressuscitou a Jesus habita em vós, aquele que dentre os mortos ressuscitou a Cristo também vivificará os vossos corpos mortais, pelo seu Espírito que em vós habita.].
A perseguição dos imperadores
romanos contra os cristãos não
somente era injusta como também
extremamente covarde, pois não
havia nenhuma possibilidade de
defesa para simples cidadãos
comuns contra soldados
fortemente armados e bem
treinados para capturar,
torturar e destruir pessoas

III – As condições da igreja em Esmirna

1. Tribulação (Ap 2:9)
  •          A palavra tribulação, originalmente em grego é thlipsis, que literalmente significa esmagar algo comprimindo-o. Dizer que está passando por uma tribulação é algo muito sério.
  •          O pastor e os crentes de Esmirna entenderam perfeitamente que a tribulação é uma missão dada pelo Senhor e que um de seus objetivos é mostrar ao inimigo que existem pessoas verdadeiramente fiéis na terra. Não foi isso o que aconteceu com Jó?
  •          Antes de Jesus dizer que no mundo teríamos aflições, ele afirmou que diria isso para que tivéssemos paz; e essa paz que temos é pelo consolo de saber que depois de todo o sofrimento daqui desse mundo, aquele que venceu, nos deu sua maravilhosa promessa de voltar para nos buscar.
  •          Muitos de nossos irmãos espalhados pelo mundo, sofrem duramente nesse momento nas mãos de terroristas anticristãos, mas resistem firmemente porque creem na promessa do Salvador.
  •          Alguma coisa pode te separar do amor de Cristo? Se você respondeu positivamente à essa pergunta, cuidado! Mas muito cuidado mesmo porque nada impede aquele que serve ao Senhor por amá-lo verdadeiramente [Rm 8:35-39 – Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? 36Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro. 37Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou. 38Porque estou certo de que, nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados[16], nem as potestades[17], nem o presente, nem o porvir[18], 39Nem a altura, nem a profundidade, nem alguma outra criatura nos poderá separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus nosso Senhor.]!
Apesar de estar numa cidade
consideravelmente rica, a igreja
esmirnense, por não ter se
vendido às vontades do mundo,
passava por problemas
financeiros; só que ela tinha um
valor inestimável que nem todo
o dinheiro do mundo poderia
comprar: ela possuía tesouros
no céu, e o Senhor Jesus a
considerava rica

2. Pobreza

  •          Enquanto algumas igrejas, assim como Laodicéia, de nada tinham falta, Esmirna, materialmente falando, enfrentava grandes dificuldades.
  •          Em Apocalipse 2:9, o próprio Jesus disse que conhecia a sua pobreza, porém não a acusou de falta de fé, pecado ou de ter alguma maldição trazida por demônios da miséria, e nem a obrigou a entregar ofertas de sacrifícios para alcançar a prosperidade, Ele simplesmente enfatizou o fato de que, apesar de ser pobre, ela era rica; rica espiritualmente, é óbvio.
  •          E essa riqueza foi alcançada pelo fato de ela reconhecer o altíssimo e incalculável valor do sangue que a comprou quando derramado numa cruz.
  •          A maior das riquezas é aquela que durará eternamente, mas para alcançá-la é necessário não ter medo daquilo que Deus possa fazer em sua vida, dependendo de qual seja o propósito que Ele tenha com você aqui na terra [Hb 11:24-27 – Pela fé Moisés[19], sendo já grande, recusou ser chamado filho da filha de Faraó, 25Escolhendo antes ser maltratado com o povo de Deus, do que por um pouco de tempo ter o gozo do pecado; 26Tendo por maiores riquezas o vitupério[20] de Cristo do que os tesouros do Egito; porque tinha em vista a recompensa. 27Pela fé deixou o Egito, não temendo a ira do rei; porque ficou firme, como vendo o invisível.].
O espírito maligno que estava em
Judas tem se apoderado de muitos
“irmãos”, os quais têm causado
grandes transtornos e trazido
muitos escândalos ao Evangelho.
Em Esmirna não era diferente,
pois a traição daqueles que se
diziam irmãos mas não são pode
ter sido também a causa da prisão
e morte de muitos crentes

3. Ataques dos falsos crentes

  •          Os fiéis esmirnenses não sofriam ataques apenas por parte dos ímpios, mas também de membros dentro da própria igreja.
  •          Esses falsos crentes são aqueles a quem o Senhor Jesus classifica como os “que se dizem judeus e não o são” e ainda completa chamando os de “sinagoga de Satanás”; Ele fez essas duras afirmações a respeito deles devido à blasfêmia que cometiam.
  •          Devido ao fato de haver esse tipo de gente no meio da congregação é que Esmirna não chegou a ser uma igreja absolutamente perfeita.
  •          Quem são essas pessoas que convivem no meio do povo de Deus, mas que o desagradam blasfemando do Evangelho? São aqueles para quem nada está bom; não concordam com as decisões tomadas; não obedecem seus líderes; se acham mais santos do que os outros; julgam os irmãos pela aparência; não sabem perdoar; somente ajudam alguém se isso lhes trouxer alguma vantagem; não aceitam críticas; não contribuem, e se contribuírem querem administrar e saber o destino do dinheiro; e introduzem as coisas do mundo na Casa de Deus com a desculpa de não serem preconceituosos.
  •          Qual é o objetivo desse tipo de “crente”? “Viver o Evangelho” a sua maneira, buscando para si pregadores e líderes que falam e fazem aquilo que lhes parece agradável, pois a Palavra como ela é causa incômodo em seus ouvidos.
  •          Porém, esses receberão a sua justa parte no dia do Juízo Final se não se arrependerem enquanto tiverem oportunidade.
  •          Você já parou para examinar como está a tua postura de crente [Ap 21:8 – Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis[21], e aos homicidas, e aos fornicadores[22], e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre; o que é a segunda morte.]?
Os “dez dias de tribulação” que Jesus
fala podem ser uma referência a dez
governos de imperadores que
perseguiram os cristãos:
Nero (54-68);
Dominiciano (68-96); Trajano
(104-117); Aurélio (161-180); Severo
(200-211) Máximo (235-237); Décio
(250-253); Valeriano (257-260);
Aureliano (270-275); Diocleciano
(303-312). Esses dez dias teriam
durado 258 anos

4. Os crentes em prisão

  •          Jesus fala a respeito de uma tribulação de dez dias na prisão, pela qual passariam alguns dos fiéis daquela igreja.
  •          Se esses servos de Deus foram executados ou não a Bíblia não diz, mas de uma coisa ela nos dá certeza: tendo eles sido fiéis até a morte, ganharam a coroa da vida.
  •          De fato, a situação dos cristãos atuais não é muito fácil; mas, agradeçamos a Deus pelo fato de vivermos num país que, pelo menos por enquanto, ainda é livre, apesar de que já começam a aparecer alguns sinais de repressão religiosa.
  •          Os carrascos romanos, naquela época, tratavam os cristãos como criminosos indignos de perdão e as torturas eram as mais cruéis possíveis, pois eles eram queimados vivos, dilacerados por cães ou outros animais selvagens, e passavam por várias outras barbaridades desumanas as quais o escritor da epístola aos Hebreus também menciona algumas [Hb 11:36-38 – E outros experimentaram escárnios[23] e açoites, e até cadeias e prisões. 37Foram apedrejados, serrados, tentados, mortos ao fio da espada; andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, desamparados, aflitos e maltratados 38(Dos quais o mundo não era digno), errantes pelos desertos, e montes, e pelas covas e cavernas da terra.].
O sangue derramado dos irmãos
não assustava e nem inibia a
poderosa Igreja de Esmirna. Os
verdadeiros servos de Deus não se
detém diante dos problemas e das
ameaças, porque conhecem muito
bem aquEle em quem confiam

Conclusão

  •          Crente não deve ter medo da morte; mas só conseguem superar esse pavor do sobrenatural, aqueles que entendem os danos da segunda morte, que é a condenação eterna, ou seja: para não temer o fim dessa vida é necessário ter certeza da salvação.
  •          A morte física não é o fim, mas sim o início de uma nova etapa, a qual, independente de ser no céu ou no inferno, é eterna; por isso temos que lutar cada dia mais contra as armadilhas do inimigo que quer nos desviar do estreito caminho reto.
  •          Assim como Esmirna, não devemos nos importar tanto com a primeira, mas nos preparamos para não sofrermos o dano da segunda morte.
  •          Numa era tão avançada que vivemos no século XXI, cristãos, e até membros de outras religiões, morrem vítimas da intolerância religiosa.
  •          Você tem orado pela igreja perseguida?
  •        Talvez não fosse o caso de todos os membros, mas, de um modo geral, pode-se dizer que a Igreja de Esmirna estava pronta. E você? Está preparado [Ap 21:7 – Quem vencer, herdará todas as coisas; e eu serei seu Deus, e ele será meu filho.]?

A mirra exala um perfume
muito agradável, porém
para se obtê-lo é necessário
enfrentar os espinhos de sua
árvore; assim é a salvação:
para se alcançar a glória é
preciso vencer as espinhosas
perseguições desse mundo

[1]Esmirna: Esmirna significa “Mirra”. Com cinco mil anos, é uma das cidades mais antigas da bacia de Mediterrâneo. Na Antigüidade, foi por muitos anos uma cidade muito rica, antes de ser destruída totalmente no século VI a.C. Mais tarde, por volta do ano 300 a.C. foi reconstruída por Alexandre, o grande. Daí para frente, tornou-se uma das cidades mais importantes e prósperas da Ásia Menor. Hoje conhecida com Izmir, a terceira maior cidade da Turquia e tem o segundo mais importante porto do país. Habitada por aproximadamente 2,5 milhões de pessoas. É um dos centros comerciais mais importantes da Turquia e ao mesmo tempo é um destino de férias popular graças as suas numerosas praias e clima quente. Existem também vários sítios turísticos relacionados com o passado glorioso de Esmirna, bem como com a sua história recente. A igreja de Esmirna passou por grandes amarguras e é considerada pelos historiadores como o local do primeiro martírio cristão existente. O relato bíblico sobre ela está em Apocalipse 2:8-11.

[2]Blasfêmia: Palavra ofensiva à divindade ou à religião. Contra-senso, heresia. Praga, maldição, imprecação.
[3]Sinagoga de Satanás: Essa expressão aparece duas vezes na Bíblia (Ap 2:9; 3:9). Sinagoga é um lugar aonde os judeus se reúnem para finalidades religiosas. Mas alguns judeus, opondo-se ao evangelho, tornaram-se um centro promotor de perseguição, planejando ali as acusações que fariam contra os cristãos às autoridades. A carta do Apocalipse não deixa claro se essa expressão se refere à grupos de judeus opositores dentro da igreja ou fora dela.
[4]Martirização: Ato de martirizar (Fazer sofrer martírio; Impor grande sofrimento).
[5]Exultar: Alegrar-se, regozijar-se.
[6]Mar Egeu: É um mar interior da bacia do mar Mediterrâneo situado entre a Europa e a Ásia. Estende-se da Grécia, a oeste, até a Turquia, a leste. Ao norte, possui uma ligação com o mar de Mármara e o mar Negro através do Dardanelos e do Bósforo. Diversas ilhas estão localizadas no mar Egeu, inclusive Creta e Rodes, que formam o seu limite meridional. O mar era tradicionalmente conhecido como o Arquipélago devido a sua importância para os gregos. Por metonímia, o termo também se aplicava ao conjunto das ilhas do Egeu e, posteriormente, veio a designar qualquer conjunto de ilha. O mar Egeu cobre uma superfície de cerca de 214 000 km² e se estende por cerca de 610 km de norte a sul e 300 km de oeste a leste. Numerosas ilhas são banhadas pelo mar, cujo limite meridional é marcado pelas ilhas de Citera, Anticitera, Creta, Cárpato e Rodes (de oeste para leste). As cerca de 1415 ilhas do Egeu costumam ser divididas em sete grupos: as ilhas de nordeste, Eubeia, as Espórades Setentrionais, as Cíclades, as Sarônicas, o Dodecaneso (ou Espórades Meridionais) e Creta. Pertencem à Turquia as ilhas de Bozcaada e Gökçeada, e o restante pertence à Grécia.
[7]Mirra: Árvore espinhosa, de folhas caducas, que pode atingir cinco metros de altura, com flores vermelho-amarelo, e frutos pontiagudos. A resina que se obtém dos seus caules é usada na preparação de medicamentos, devido a suas propriedades anti-sépticas. Os egípcios empregavam a mirra no culto ao deus Sol e como ingrediente na mumificação por suas qualidades embalsamadoras. Até o século XV, era usada como incenso em funerais e cremações. Atualmente utilizam-se comercialmente os componentes da mirra em produtos como loções, pastas de dente, perfumes e outros cosméticos. A naturopatia ainda recomenda seu uso em cavidades orais no tratamento de infecções causadas por bactérias, fungos e vírus. A mirra foi, além de ouro e incenso, um dos três presentes dados ao Menino Jesus pelos Reis Magos, no Evangelho de Mateus.
[8]Deprecação: Ação de deprecar. Rogativa, súplica.
[9]Eminência: Qualidade do que é eminente; preponderância, supremacia.
[10]Policarpo: Foi ordenado Pastor de Esmirna pelo próprio João Evangelista. De caráter reto, de alto saber, amor a Igreja e fiel à ortodoxia da fé, era respeitado por todos no Oriente. Com a perseguição, o Santo bispo de 86 anos, escondeu-se até ser preso e assim foi levado para o governador, que pretendia convencê-lo a negar a Cristo; diante disso, ele respondeu da seguinte forma: “Há oitenta e seis anos sirvo a Cristo e nenhum mal tenho recebido dEle. Como poderei negar Aquele a quem prestei culto e rejeitar o meu Salvador?”; então foi colocado na fogueira e milagrosamente as chamas não o queimaram. Seus inimigos, então, o apunhalaram até a morte e depois queimaram o seu corpo numa estaca. Segundo a história, os judeus estavam tão ávidos pela morte de Policarpo quanto os pagãos, por causa de sua defesa contra as heresias.
[11]Mártir: Pessoa que sofreu tormentos ou a morte pela fé. Pessoa que sofre por sustentar as suas crenças ou as suas opiniões. Pessoa que sofre muito. Pessoa que é vítima de maus tratos.
[12]Vil: Que tem pouco valor; barato. Mesquinho, miserável. Desprezível, repugnante, abjeto.
[13]Escória: Pessoas pobres e incultas que formam as classes mais baixas de uma sociedade; plebe, vulgo, canalha, gentinha, zé-povinho, ralé.
[14]Confessante: Aquele que confessa.
[15]Pilatos: Pôncio Pilatos foi prefeito da província romana da Judeia entre os anos 26 e 36 d.C.. Foi o juiz que condenou Jesus a morrer na cruz, mesmo contra sua vontade, pois não havia achado culpa nEle. Apesar de nesse episódio ele não parecer muito hostil, foi, na verdade, um homem cruel e sanguinário; segundo a história, Pilatos trucidou um grande numero de samaritanos, os quais, consequentemente, protestaram ao seu superior, Vitelio, legado provincial da Síria, o qual destituiu Pilatos e o enviou a Roma a desculpar-se com o Imperador. Ele cometeu suicídio por volta do ano 37 d.C..
[16]Principado: Dignidade de príncipe. Território cujo governo pertence a um príncipe ou a uma princesa.
[17]Potestade: Potência, força, poder. A divindade suprema, segundo a religião. Potentado.
[18]Porvir: Tempo futuro.
[19]Moisés: [Supostamente significa “Salvo das Águas”]. Moisés liderou o povo judeu em fuga da escravidão no Antigo Egito, tendo instituído a Páscoa Judaica. Depois guiou seu povo através de um êxodo pelo deserto durante quarenta anos, que se iniciou através da famosa passagem em que Moisés abre o Mar Vermelho, para possibilitar a travessia segura dos judeus. Recebeu no alto do Monte Sinai as Tábuas da Lei de Deus, contendo os Dez Mandamentos.
[20]Vitupério: Ato de condenar ou repreender. Desprezo, ignomínia. Insulto, injúria, agravo, ofensa, ultraje. Ato vergonhoso, infame. Acusação infame.
[21]Abominável: Impuro, nojento, repulsivo, reprovável, maldito.
[22]Fornicador: Aquele que fornica, que pratica fornicação (Pecado de luxúria (atração por prazeres sexuais)).
[23]Escárnio: Zombaria, menosprezo.
Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 2º Trimestre de 2012 – Lição 4 | AD Belém – Setor 20 (Arujá/SP) – Congr. Pq. Rodrigo Barreto I | Jonas M. Olímpio  

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s