Apocalipse, a Revelação de Jesus Cristo

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD | 2º Trimestre de 2012 – Lição 1 | AD Belém – Setor 20 (Arujá/SP) – Pq. Rodrigo Barreto I
O cumprimento das revelações de
Jesus Cristo estão cada vez mais
evidentes nos fatos que têm
ocorrido nos últimos dias

Texto Áureo

    Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo. (Ap 1:3).
Verdade Prática
    O crente que lê e estuda o Apocalipse não se espanta com o programa de Deus para estes últimos dias.
Leitura Bíblica em Classe
    Apocalipse 1:1-8 – Revelação de Jesus Cristo, a qual Deus lhe deu, para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer;
e pelo seu anjo as enviou, e as notificou a João seu servo; 2O qual testificou da palavra de Deus, e do testemunho de Jesus Cristo, e de tudo o que tem visto. 3Bem-aventurado aquele que lê, e os que ouvem as palavras desta profecia, e guardam as coisas que nela estão escritas; porque o tempo está próximo. 4João, às sete igrejas que estão na Ásia: Graça e paz seja convosco da parte daquele que é, e que era, e que há de vir, e da dos sete espíritos que estão diante do seu trono; 5E da parte de Jesus Cristo, que é a fiel testemunha, o primogênito dentre os mortos e o príncipe dos reis da terra. Aquele que nos amou, e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados, 6E nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai; a ele glória e poder para todo o sempre. Amém. 7Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém. 8Eu sou o Alfa[1] e o Omega[2], o princípio e o fim, diz o Senhor, que é, e que era, e que há de vir, o Todo-Poderoso.
O Apocalipse é caracterizado por
sua linguagem simbólica, o que
torna relativamente difícil e
perigosa a sua interpretação que
não pode ser feita de forma
totalmente literal

Introdução

·         Cheio de símbolos e caracterizado por ter grande parte de sua linguagem figurada, razão pela qual não se pode fazer dele uma interpretação cem por cento literal, o Apocalipse causa fascínio e até medo em muitas pessoas.
·         Seu objetivo básico é mostrar, de várias formas, como serão os últimos dias da humanidade sobre a terra através de profecias e também de alguns acontecimentos históricos.
·         É interessante lembrar que esse livro marca a consumação[3] de nossa vida aqui com um recomeço à nível espiritual, e não o fim de tudo, como pensam alguns; pois a vida é eterna, seja para salvação ou para a condenação.
·         Você está preparado para a vida futura ou, como muitos que vivem na perdição, tem medo só de pensar no que há de vir?
·         Ter medo das revelações de Deus é a mesma coisa que ter medo de ir ao médico e descobrir que tem uma grave doença, sendo que é melhor descobrir para iniciar logo o tratamento; não devemos fugir da realidade, mas sim encarar o pecado como um mal que precisa ser tratado com urgência para que possamos alcançar nossos objetivos [Is 59:1-3 – Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem agravado o seu ouvido, para não poder ouvir. 2Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que não vos ouça. 3Porque as vossas mãos estão contaminadas de sangue, e os vossos dedos de iniqüidade; os vossos lábios falam falsidade, a vossa língua pronuncia perversidade.].
Jesus é fiel e suas promessas são
infalíveis; e uma das coisas que Ele
prometeu é que um dia voltaria
para buscar os fiéis. você está
preparado?

I – O livro do Apocalipse

1. Apocalipse, o único livro profético do NT
·         Apesar de todos os livros do Novo Testamento terem algum tipo de conteúdo profético, o Apocalipse é o único que relata especificamente de profecias, pois ele é escatológico, ou seja: trata das coisas futuras.
·         O seu próprio nome é profético: em grego, “apocalipse”expressa a ideia da remoção de um véu estendido sobre algo que deve e precisa ser conhecido urgentemente. Então podemos entender que o Apocalipse é “a retirada de um véu para se ver aquilo que estava escondido”, ou simplesmente, “o ato de desvendar”.
·         Seu conteúdo é composto por diversas revelações que foram entregues aos seus destinatários, as sete Igrejas da Ásia, como carta, sendo, na verdade, esse livro uma epístola endereçada a todos nós.
·         Não há dúvidas de que esses escritos também estão destinados a nós, porque as suas maiores revelações ainda estão por se cumprir, incluindo a maior promessa do nosso Salvador [Ap 1:7 – Eis que vem com as nuvens, e todo o olho o verá, até os mesmos que o traspassaram; e todas as tribos da terra se lamentarão sobre ele. Sim. Amém.].
Os imperadores sempre castigaram
cruelmente os cristãos nas arenas da
morte; atualmente, não passamos
nem uma pequena parcela do que
eles enfrentaram, mas reclamamos
de tudo como se fôssemos os maiores
mártires de todos os tempos

2. Um livro de advertências e consolações

·         Embora seja profético, o Apocalipse não está limitado ao relato de profecias, mas nos trás também tanto advertências quanto consolações.
·         Ele é riquíssimo em mensagens que, diante desse mundo tão conturbado, nos alertam sobre os perigos de uma vida de pecado e ainda nos enche o coração de esperança com a grande promessa do Senhor Jesus de um dia nos buscar.
·         Entendê-lo é um grande privilégio que nos proporciona muita alegria e consolo.
·         Não reclamemos de nossas aflições, pois o Senhor nos usa de várias maneiras e nas mais diversas, ou adversas, situações, para a salvação e a edificação do próximo, assim como usou João para escrever o Apocalipse enquanto ele passava por grandes dificuldades: estava injustamente encarcerado por causa da Palavra de Deus [Ap 1:9 – Eu, João, que também sou vosso irmão, e companheiro na aflição, e no reino, e paciência de Jesus Cristo, estava na ilha chamada Patmos, por causa da palavra de Deus, e pelo testemunho de Jesus Cristo.].
Inspirado pelo Espírito Santo de
Deus, o apóstolo João escreveu
palavras que mudariam para sempre
a história da humanidade; ele não se
importou com as conseqüências e
cumpriu as ordens divinas. O que
você tem feito para cumprir a
vontade do Senhor?

II – Autoria, data e local

1. Autoria
·         Humanamente falando, o seu autor é João, o filho de Zebedeu[4].
·         É necessário ter cuidado para não confundir porque há outros homens na Bíblia com esse nome como, por exemplo, João Marcos[5] e João Batista[6];
·         Ele também é autor de um dos evangelhos (o Evangelho Segundo João) e três epístolas do Novo Testamento (1ª, 2ª e 3ª Epístola[7]de João) que estão entre as epístolas universais (Tiago, 1ª Pedro, 2ª Pedro e Judas).
·         É importante lembrar que as epístolas paulinas não estão entre as universais porque o apóstolo Paulo endereçou suas 13 cartas diretamente para as igrejas aonde ele tinha assuntos específicos e particulares a tratar; porém, seu conteúdo e suas mensagens possuem, indiscutivelmente, também um contexto de valor universal.
·         O apóstolo João tinha um profundo conhecimento teológico e uma grande intimidade com Deus; devido a essas notáveis qualidades ele ficou conhecido como João, o teólogoe também como João, o divino.
·         Esse grande conhecimento da Palavra e apego às coisas de Deus se deve também ao fato de que Ele foi um dos discípulos de Jesus, com quem ele tinha uma comunhão tão grande que, de acordo com o que está escrito em João 21:20, ele é reconhecido como o discípulo a quem Jesus amava.
·         Como vemos em João 20:31, em seu ministério, João sempre fez questão de destacar a pessoa de Jesus e o seu poder [1ª Jo 5:10-14 – Quem crê no Filho de Deus, em si mesmo tem o testemunho; quem a Deus não crê mentiroso o fez, porquanto não creu no testemunho que Deus de seu Filho deu. 11E o testemunho é este: que Deus nos deu a vida eterna; e esta vida está em seu Filho. 12Quem tem o Filho tem a vida; quem não tem o Filho de Deus não tem a vida. 13Estas coisas vos escrevi a vós, os que credes no nome do Filho de Deus, para que saibais que tendes a vida eterna, e para que creiais no nome do Filho de Deus. 14E esta é a confiança que temos nele, que, se pedirmos alguma coisa, segundo a sua vontade, ele nos ouve.].
O Apocalipse foi escrito no auge
do império romano; essa foi a fase
de maior perseguição ao Evangelho
de toda a história da humanidade.
Mas, mesmo assim, valentes homens
e mulheres de Deus deram sua
própria vida para que a Palavra da
Verdade prevalecesse e chegasse até
nós nos dias de hoje

2. Data

·         Não há uma data precisa, mas o livro do Apocalipse foi escrito entre os anos 90 e 96d.C.
·         Esse era um tempo difícil, pois os judeus estavam sob o domínio do Império Romano[8], governado pelo impiedoso imperador Domiciano[9], que era tão desumano quanto os mais terríveis que já haviam governado Roma como, por exemplo, Nero[10] e Calígula[11].
·         Por todo o período do Império Romano, milhares de cristãos foram perseguidos, presos, torturados e mortos por não negarem o nome de Cristo.
·         Embora muitos queiram pregar apenas um Evangelho de bênçãos e prosperidade material, os cristãos sempre foram perseguidos, desde a Igreja Primitiva até a Igreja atual. E o Senhor Jesus nos garante que essa perseguição não é sinal de derrota, mas sim de bênção  [Mt 5:10-12 – Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus; 11Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa. 12Exultai e alegrai-vos, porque é grande o vosso galardão nos céus; porque assim perseguiram os profetas que foram antes de vós.].
Apesar de sua incrível beleza
natural, a ilha de Patmos foi palco
de tortura e morte de inúmeros
cristãos; porém, foi nessa ilha
também que Jesus Cristo fez à
humanidade, através de seu servo
João, as mais importantes
revelações para a sua salvação

3. Lugar

·         Quando recebeu essas divinas revelações e escreveu o Apocalipse, João estava preso numa pequena ilha grega chamada Patmos.
·         Essa ilha fica a 55 quilômetros à costa sudeste da Turquia e pertence a um arquipélago[12] chamado Dodecaneso[13] e ocupa uma área de 34,6 Km², sendo, atualmente, habitada por uma população de cerca de três mil pessoas.
·         Com sua vegetação e seus montes razoavelmente baixos, a ilha de Patmos foi um dos lugares escolhidos para servir como alojamento aos prisioneiros do governo romano.
·         Para muitos de nós, a prisão que impede que o Evangelho seja pregado livremente não é física, mas sim espiritual e de origem maligna; porém, mesmo assim ela se manifesta é de forma física e por vários meios, pois muitos estão presos à vaidade, ao trabalho, à família, à vergonha, ao medo, à preguiça, ao comodismo, à diversão, à doenças, à mágoas e à tantas outras algemas do pecado que se esquecem que, em vários lugares, muitos verdadeiros servos de Deus sofreram e ainda sofrem por amor a Jesus e às almas, enquanto outros que têm plena liberdade não a valorizam para fazer o que deveriam. Qual tem sido a tua maior preocupação em relação às pessoas próximas a você [Cl 4:2-6 – Perseverai em oração, velando[14]nela com ação de graças; 3Orando também juntamente por nós, para que Deus nos abra a porta da palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual estou também preso; 4Para que o manifeste, como me convém falar. 5Andai com sabedoria para com os que estão de fora, remindo o tempo. 6A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um.]?
Já há algum tempo, estão em
teste em vários países, chips que
devem ser implantados na mão
direita ou na testa do ser humano,
que podem coletar todos os dados
da pessoa, possibilitando suas
transações financeiras; depois de
aprovados e distribuídos por todo
o mundo, será praticamente
impossível alguém comprar ou
vender sem ele. Coincidência? Esse
é apenas mais um sinal da chegada
do anticristo e de que Jesus Cristo
está voltando!

III – Apocalipse, o livro profético do NT

1. Tema do Apocalipse
·         Logo no início de sua escrita, o próprio apóstolo já define o tema do livro, classificando-o como uma revelação de Jesus Cristo dada a Ele por Deus para mostrar aos seus servos as coisas que brevemente devem acontecer.
·         Com um estilo de linguagem predominante em seus textos repleto de visões, imagens, símbolos e figuras, essa epístola mostra que, apesar de nos últimos dias do homem sobre a terra haverem grandes batalhas, aqueles que se mantiverem fiéis até o fim do lado do bem serão os grandes vencedores dessa guerra que, embora se manifeste de forma física, está travada mesmo é em nível espiritual.
·         Somente os que compreenderem que o verdadeiro campo de batalha é sobrenatural é que saberão utilizar as armas corretas para combater os verdadeiros inimigos, ou seja: somente os crentes fiéis é que saberão que em vez de utilizar armas letais para lutar contra homens, devem usar a Palavra, a oração, a consagração, a adoração e o amor para combater Satanás e seus anjos caídos, que são os nossos verdadeiros inimigos.
·         O livro termina mencionando a maravilhosa vitória e o gozo eterno dos que venceram as tentações do século presente, sacrificando seus desejos da carne não dando lugar ao pecado, para fazer a vontade de Deus.
·         Os pregadores da Teologia da Prosperidade menosprezam a promessa maior que temos sobre a nossa vida, que é a salvação de nossas almas, e valorizam, acima de tudo, as bênçãos que se pode alcançar nesse tempo presente, sendo que a Palavra nos ensina que o mais importante é se preparar para a vida eterna [1ª Co 15:19 – Se esperamos em Cristo só nesta vida, somos os mais miseráveis de todos os homens.].
Para se compreender o Apocalipse é
necessário saber separar cada texto
dando total atenção ao seu
contexto, dividindo-o em tempo,
local e objetivo de cada narrativa
profética

2. Divisões do Apocalipse

·         O Apocalipse não é um livro que possa ser lido de qualquer maneira, fazendo-se uma interpretação totalmente literal. Para compreendê-lo é indispensável conhecer seu esboço, o qual lhe permitirá entender o porquê e quem é o destinatário correto de cada mensagem.
·         Resumidamente, esse complexo livro é composto pelo seguinte conteúdo: a visão do Cristo crucificado no meio dos sete candelabros; as sete cartas às igrejas da Ásia menor; e a ascensão[15] do anticristo, a Grande Tribulação, o Milênio, o Julgamento Final e a inauguração da Jerusalém Celestial.
·         De uma forma mais ampla, podemos também dividir o Apocalipse em oito partes:
a)      As setes cartas às igrejas da Ásia Menor (cap. 1 a 3);
b)      Os sete selos (cap. 4:1 a 8:1);
c)       As sete trombetas (cap. 8:2 a 11);
d)      As sete figuras simbólicas (a mulher vestida de sol, o dragão, o menino, a besta[16]que saiu do mar, a besta que saiu da terra, o Cordeiro no monte Sião[17]e o Filho do Homem sobre a nuvem);
e)      O derramamento das sete taças (cap. 15 a 16);
f)       A condenação eterna dos ímpios (cap.17 a 20);
g)      As glórias da Nova Jerusalém (cap. 21 a 22:5);
h)      Epílogo[18](cap. 22:6 a 22:21).
·         As Sagradas Escrituras devem ser examinadas cuidadosamente para que ninguém seja induzido ao erro por falta de conhecimento; pois a distorção dos mandamentos divinos custará um preço muito alto àqueles que não levam à sério as coisas de Deus [Os 4:6,7 – O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos. 7Como eles se multiplicaram, assim pecaram contra mim; eu mudarei a sua honra em vergonha.].
O objetivo do Apocalipse não é
assustar o crente, aterrorizar o
pecador ou causar pânico na
humanidade; seu objetivo, tão
pura e simplesmente é mostrar ao
homem o quanto é importante
obedecer a Deus, porque muito
triste será o futuro daqueles que
permanecerem aqui terra, pois além
do sofrimento aqui, que será quase
impossível de resistir para tentar ser
salvo, ainda serão condenados ao
sofrimento eterno no inferno

3. Objetivos do Apocalipse

·         O primeiro objetivo do Apocalipse foi corrigir os erros doutrinários e as heresias nas igrejas da Ásia Menor.
·         O segundo objetivo do Apocalipse era consolar os crentes, e os familiares dos crentes, que eram cruelmente perseguidos pelo governo romano.
·         O terceiro objetivo do Apocalipse consiste em mostrar aos fiéis, e também aos infiéis, tudo o que há de suceder nos últimos dias.
·         O quarto objetivo do Apocalipse é nos alertar sobre a importância de se viver em santificação por que a vinda de Jesus está muito próxima e acontecerá repentinamente: de surpresa.
·         Resumindo, o objetivo básico do Apocalipse é nos mostrar os acontecimentos de grande relevância espiritual para a humanidade no passado, no presente e no futuro [Ap 1:19 – Escreve as coisas que tens visto, e as que são, e as que depois destas hão de acontecer;].
A primeira Bíblia foi impressa no ano
1456, na Alemanha, por Johann
Gutenberg: foram duzentas cópias
da Vulgata Latina. Mesmo assim,
por motivos diversos, nem todos
passaram a ter acesso ao Livro
Sagrado, e isso fazia com que fosse
dado um grande valor ao fato de se
poder um pouco de conhecimento
sobre as Escrituras. Mas, hoje, que
tudo está tão mais fácil, as pessoas
estão tendo acesso a tantas coisas
que optarem por deixar a Palavra de
Deus de lado, e só a buscam quando
precisam de ajuda e consolo

IV – A leitura do Apocalipse

1. A produção de livros no período do Novo Testamento
·         Naquela época, entre 90 e 96d.C, possuir um livro era um privilégio dispensado apenas aos ricos.
·         Os seus altíssimos preços eram justificados devido à grande dificuldade em seu processo de edição, produção e acabamento: os escribas tinham que escrever um por um, pois não haviam máquinas de digitação; todo o trabalho de montagem de cada exemplar também era manual; cada detalhe final da obra exigia a habilidade de verdadeiros artistas. Para tudo isso era necessário grande esforço por parte dos profissionais da literatura.
·         Para ser um escriba era necessário um talento especial, levando-se em consideração que apenas uma pequena parcela da população tinha acesso ao aprendizado e sabia ler e escrever.
·         Muitos crentes valorizam mais a opinião de um incrédulo do que a Palavra de Deus, qual é o valor que você tem dado a ela? [Sl 1:1,2 – Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores[19]. 2Antes tem o seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.].
O tempo, a atenção e a
reverência dispensados à
leitura, à pregação e ao
ensinamento da Palavra
na igreja moderna estão
cada vez mais escassos,
pois a Bíblia está sendo
trocada por shows, peças,
homenagens, pedidos de
dinheiro e até campanhas
políticas

2. A leitura das Escrituras Sagradas

·         Em quase todas as igrejas somente existia um exemplar das Escrituras.
·         Por isso, apenas um obreiro fazia a leitura, enquanto as pessoas ouviam silenciosamente, atentas para guardar na mente e no coração o máximo possível da Palavra de Deus.
·         Essa é a razão pela qual em Apocalipse 1:3 João diz que bem-aventurado é aquele que lê, e também aquele que ouve as palavras dessa profecia, guardando as coisas que nelas estão escritas; isso mostra o valor que Deus dá ao obreiro que ensina a Palavra e o quanto é abençoado aquele que ouve e coloca em prática tudo o que aprende.
·         Nos dias atuais está tão fácil adquirir exemplares da Bíblia que elas estão por todas as partes não só como livros impressos, mas também nos computadores, celulares e em formato de áudio e também de vídeo, além dos mais variados materiais de estudo e meditação existentes por aí; porém, diante de todo esse farto material, ironicamente, a maioria das pessoas parece estar cada vez mais longe de Deus. A Bíblia dá uma “pequena sugestão” sobre o motivo disso [Mt 24:11,12 – E surgirão muitos falsos profetas, e enganarão a muitos. 12E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor de muitos esfriará.].
A imagem dos ministros de Deus,
em alguns casos, não é mais
aquela de um homem sério e cheia
de autoridade espiritual, pois
muitos têm se comportado como
verdadeiros animadores de palco
para ganharem a atenção da
platéia, tentando agradar o número
máximo possível de pessoas

3. A liturgia[20]da Palavra

·         Qual é o valor que a Igreja atual, de um modo geral, está dando à leitura, ao ensinamento e à pregação da Palavra?
·         Você já leu a Bíblia inteira? Saiba que isso é perfeitamente possível se você reservar pelo menos alguns poucos minutos diários para meditar. Mas não basta ler, é preciso orar pedindo sabedoria ao Espírito Santo, participar dos cultos de ensino, palestras e Escola Dominical, e pedir orientação aos obreiros e aos irmãos de confiança que tenham conhecimento, seriedade e compromisso diante das Sagradas Escrituras.
·         Se você é Pastor, Professor, líder de grupo ou pregador, incentive o povo à meditar e estudar a Bíblia, pois no conhecimento dela é que estão contidos os valiosos segredos para combater e vencer o inimigo.
·         Não se preocupe com as dificuldades, porque muito maior serão as recompensas para os servos fiéis [Sl 126:5,6 – Os que semeiam em lágrimas segarão com alegria. 6Aquele que leva a preciosa semente, andando e chorando, voltará, sem dúvida, com alegria, trazendo consigo os seus molhos[21].].
Até quando a humanidade permanecerá
incrédula diante à tantas confirmações
da veracidade bíblica? Não espere
acontecer o pior, faça a tua parte, e a
hora é agora!

Conclusão

·         Não evite a leitura do Apocalipse, como faz a maioria dos crentes, apenas por achá-lo complicado e até perigoso se for mal interpretado. Encare-o como um desafio à tua sabedoria cristã e explore seus textos, com o auxílio de livros e de pessoas realmente confiáveis que professem a mesma fé, sem se dar por contente até conseguir compreendê-los.
·         Ele parece ser um livro difícil demais para se entender? Como igreja somos considerados a noiva de Cristo, não é mesmo? Será que um noivo mandaria para a sua noiva uma carta impossível para ela compreender? Pois Ele conhece muito bem as nossas limitações e colocou ali suas revelações de uma forma que somente os que são verdadeiramente seus tem capacidade espiritual, e não simplesmente intelectual, para entender, assim como fazia quando contava parábolas[22]de uma forma que somente os seus verdadeiros seguidores conseguiam discernir, e aqueles que se achavam sábios e entendidos mas, não queriam um verdadeiro compromisso com Ele, nada conseguiam compreender.
·         O propósito do Apocalipse, assim como de todos os livros da Bíblia, é levar ao homem o conhecimento sobre a pessoa e a vontade de Deus, porque essa é a única forma da criatura ter a oportunidade de se relacionar com o Criador e poder, um dia, ir viver com Ele eternamente.
·         O conhecimento da Palavra é essencial para o homem conhecer a Deus, e mais essencial ainda é a obediência àquilo o que ela ensina para se poder obter um profundo e íntimo relacionamento com Ele [Ap 22:18,19 – Porque eu testifico a todo aquele que ouvir as palavras da profecia deste livro que, se alguém lhes acrescentar alguma coisa, Deus fará vir sobre ele as pragas que estão escritas neste livro; 19E, se alguém tirar quaisquer palavras do livro desta profecia, Deus tirará a sua parte do livro da vida[23], e da cidade santa, e das coisas que estão escritas neste livro.].

Começando pela crucificação de
Jesus Cristo, o Império Romano
foi marcado pela perseguição aos
cristãos; hoje, em países livres
como o nosso, Satanás age de uma
forma um pouco mais sútil: ao
invés de maltratar os crentes, ele
tenta agradá-los

[1]Alfa: A primeira letra do alfabeto grego. Quando mencionada em relação a Jesus significa “princípio”.

[2]Omega: A última letra do alfabeto grego. Quando mencionada em relação a Jesus significa “o fim”.
[3]Consumação: Ato de realizar, acabar, terminar.
[4]João, o filho de Zebedeu: Filho de Zebedeu e de Salomé. Ele e seu irmão Tiago eram pescadores (Mt 4.21}. João Batista o apresentou a Jesus (Jo 1:35-39), que o chamou para ser apóstolo (Mc 1:19-20). Era do grupo mais íntimo de Jesus (Mc 5:37; Mt 17:1; 26:37). Ele e Tiago são chamados de Boanerges (Filhos do Trovão: pessoas de caráter violento). João é provavelmente o discípulo amado (Jo 13:23). Foi ele o único discípulo que permaneceu perto da cruz (Jo 19:26-27) e o primeiro a crer na ressurreição de Cristo (Jo 20:1-10). Após o Pentecostes, trabalhou inicialmente com Pedro (At 3:1-4:22; 8:14-17; Gl 2:9). A tradição diz que João viveu em Éfeso até uma idade bem avançada. É considerado o autor do Evangelho de João, das três epístolas que levam o seu nome e do Apocalipse.
[5]João Marcos: Filho de uma mulher chamada Maria e primo de Barnabé ( Cl 4:10}. Acompanhou Paulo e Barnabé até Antioquia (At 12.25) e, depois, na sua primeira viagem missionária, até Perge (At 13:5,13). Por causa dele Paulo e Barnabé se separaram (At 15:36-41). Mais tarde, porém, Marcos foi cooperador de Paulo (Cl 4:10; Fm 1:24; 2ª Tm 4:11) e trabalhou com Pedro (1ª Pe 5.13). Marcos é o Autor do Evangelho de Marcos e, Segundo a tradição, fundou a igreja em Alexandria.
[6]João Batista: O profeta que preparou a vinda de Jesus. Era filho de Zacarias e Isabel (Lc 1:5-25,57-80). Iniciou e desenvolveu o seu ministério na região do rio Jordão (Lc 3:1-3). Pregou o batismo de arrependimento (Lc 3:4-14) e a vinda do Reino dos céus (Mt 3:1-12). João batizou Jesus (Mt 3:13-17) e testemunhou a respeito dele (Jo 1:15-34). Por ordem de Herodes Antipas, foi preso e morto (Mc 6:14-29). Jesus o elogiou (Mt 11:7-14). Seu batismo continuou sendo praticado por algum tempo (At 18:25).
[7]Epístola: É um texto escrito em forma de carta, para ser correspondido a uma ou várias pessoas, mas se distinguindo desta por expressar opiniões, manifestos, e discussões para além de questões ou interesses meramente pessoais ou utilitários, sem porém deixar o estilo coloquial, que combina paixões subjetivas e apelos intersubjetivos com o debate de temas abrangentes e abstratos. As epístolas reunidas de um autor podem vir a ser publicadas devido a seu interesse histórico, literário, institucional ou documental. Resumindo: é uma carta pública.
[8]Império Romano: Complexo de domínio político liderado pelos governantes romanos, com capital em Roma, que teve o seu auge por um período de aproximadamente 500 anos (de 30 a.C. a  476d.C), o qual se expandiu grandemente conforme ia conquistando várias terras e colonizando seus habitantes. A extensão de seu território abrangia grande parte da Europa e da bacia mediterrânea da África e da Ásia. Seus imperadores eram muito temidos devido a sua fama de crueldade contra os seus inimigos.
[9]Domiciano: Tito Flávio Domiciano (em latim Titus Flavius Domitianus), 24 de outubro do 51 a 18 de setembro de 96), habitualmente conhecido como Domiciano, foi imperador romano de 14 de setembro de 81 d.C. até a sua morte a 18 de setembro de 96. Tito Flávio Domiciano era filho de Vespasiano com sua mulher Domitila e irmão de Tito Flávio, a quem ele sucedeu. Foi um grande inimigo dos cristãos.
[10]Nero: Nero Cláudio César Augusto Germânico, foi um imperador romano que governou de 13 de outubro de 54 até a sua morte, a 9 de junho de 68. Durante a noite de 31 de julho de 64, ocorreu em Roma um incêndio que devastou a cidade. O fogo começou a sudeste do Circo Máximo, onde se localizavam uns postos que vendiam produtos inflamáveis. Depois do incêndio, a população buscou um bode expiatório e começaram a circular rumores de que Nero era o responsável. Para afastar as culpas, Nero acusou os cristãos e ordenou que alguns fossem jogados aos cães, enquanto outros fossem queimados vivos e crucificados.
[11]Calígula: Caio Júlio César Augusto Germânico (em latim Gaius Julius Caesar Augustus Germanicus; 31 de agosto de 12 d.C. a 24 de janeiro de 41), também conhecido como Caio César ou Calígula (Caligula), foi imperador romano de 16 de março de 37 até o seu assassinato, em 24 de janeiro de 41. Foi o terceiro imperador romano e membro da dinastia Júlio-Claudiana, instituída por Augusto. Ficou conhecido pela sua natureza extravagante e cruel. Foi assassinado pela guarda pretoriana, em 41, aos 29 anos. A sua alcunha Calígula, à qual significa “botinhas” em português, foi posta pelos soldados das legiões comandadas pelo pai, que achavam graça em vê-lo mascarado de legionário, com pequenas caligae (sandálias militares) nos pés. Foi um grande inimigo dos cristãos.
[12]Arquipélago: Palavra grega que significa mar principal. Aplica-se, hoje em dia, a qualquer extensão de água contendo ilhas e, frequentemente, às próprias ilhas.
[13]Dodecaneso: É um grupo de ilhas gregas na extremidade leste do Mar Egeu, junto à costa sudoeste daTurquia. Têm uma rica história e mesmo algumas das ilhas pequenas e desabitadas ostentam várias igrejas bizantinas e castelos medievais. Esta ilhas até 2010 constituíam a prefeitura do Dodecaneso, com sua capital na cidade de Rodes.
[14]Velar: Ter cuidado; dispensar atenção.
[15]Ascensão: Ato de se elevar; subir.
[16]Besta: Animal de quatro patas, de grande porte; animal de carga (Is 46:1). Biblicamente é uma criatura maligna que representa a força bruta, a imoralidade e a oposição a Deus (Is 30:6; Ap 13:1-18).
[17]Monte Sião: Sião ou Tzion, em hebraico, significa local ensolarado, ou exposto ao sol; monte ensolarado. O Monte Sião é uma elevação em Jerusalém com 765 metros acima do nível do mar. Fica na parte sudoeste da Cidade antiga. Ao leste está o vale central e, ao sul, o vale de Hinon. Foi no Monte Sião, onde se situa o Cenáculo, que Jesus celebrou a última Páscoa e instituiu a Ceia do Senhor. Este monte foi conquistado pelo exército israelense em 18 de maio de 1948, na guerra de “libertação” ou “Independência” do Estado de Israel.
[18]Epílogo: Conclusão resumida de um livro, poema ou discurso. Fim, remate. Resumo.
[19]Escarnecedor: Quem escarnece ou zomba.
[20]Liturgia: Conjunto das cerimônias e preces ordenado pela autoridade espiritual competente.
[21]Molho: Feixe.
[22]Parábola: Originária do grego parabole, significa narrativa curta ou apólogo, muitas vezes erroneamente definida também como fábula. Sua característica é ser protagonizada por seres humanos e possuir sempre uma razão moral que pode ser tanto implícita como explícita. Ao longo dos tempos vem sendo utilizada para ilustrar lições de ética por vias simbólicas ou indiretas. Narração figurativa na qual, por meio de comparação, o conjunto dos elementos evoca outras realidades, tanto fantásticas, quando reais. Eram as histórias geralmente extraídas da vida cotidiana utilizadas por Jesus Cristo para ensinar aos seus discípulos. Segundo Marcos 4:11-12, eram utilizadas por Jesus para que somente seus discípulos as entendessem plenamente. Este gênero já era utilizado por muitos dos antigos profetas.
[23]Livro da Vida: Livro de Deus em que são registrados os nomes dos cidadãos do Reino do Céu e suas obras (Êx 32:32; Fp 4:3; Ap 3:5; 20:12). Ser riscado desse livro significa a perda dessa cidadania (Sl 69:28; Ap 13:8).

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD 
2º Trimestre de 2012 – Lição 1
Aula ministrada por mim na AD Belém – Setor 20 (Arujá/SP) – Pq. Rodrigo Barreto I
Jonas Martins Olímpio

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s