Somente em Jesus Temos a Verdadeira Prosperidade

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD 
1º Trimestre de 2012 – Lição 13
Aula ministrada por mim na AD Belém – Setor 20 (Arujá/SP) – Pq. Rodrigo Barreto I
Jonas Martins Olímpio

Qual é a verdadeira mensagem do
Evangelho de Jesus Cristo? Se Ele
tivesse vindo à terra nos dias de
hoje, qual seria o conteúdo de
suas pregações?

Texto Áureo

    O ladrão não vem senão a roubar, a matar e a destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham com abundância (Jo 10:10).
Verdade Prática
    A vida abundante não consiste em negar as adversidades, mas em fazer da suficiência em Cristo a nossa confiança, quer em meio à alegria, quer em meio à tristeza.
Leitura Bíblica em Classe
    João 15:1-11 – Eu sou a videira verdadeira, e meu Pai é o lavrador. 2Toda a vara em mim, que não dá fruto, a tira; e limpa toda aquela que dá fruto, para que dê mais fruto. 3Vós já estais limpos, pela palavra que vos tenho falado. 4Estai em mim, e eu em vós; como a vara de si
mesma não pode dar fruto, se não estiver na videira, assim também vós, se não estiverdes em mim. 5Eu sou a videira, vós as varas; quem está em mim, e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer. 6Se alguém não estiver em mim, será lançado fora, como a vara, e secará; e os colhem e lançam no fogo, e ardem. 7Se vós estiverdes em mim, e as minhas palavras estiverem em vós, pedireis tudo o que quiserdes, e vos será feito. 8Nisto é glorificado meu Pai, que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos. 9Como o Pai me amou, também eu vos amei a vós; permanecei no meu amor. 10Se guardardes os meus mandamentos, permanecereis no meu amor; do mesmo modo que eu tenho guardado os mandamentos de meu Pai, e permaneço no seu amor. 11Tenho-vos dito isto, para que o meu gozo permaneça em vós, e o vosso gozo seja completo.

O ladrão vem para matar, roubar
e destruir. Muitos crentes têm sido
vítimas constantes de vários
“assaltos espirituais”, sem sequer
se darem contas de que são vítimas
de lobos vestidos em peles de
cordeiros, ou disfarçados de
pastores

Introdução

  •          Há duas linhas de pensamento totalmente equivocadas[1] inseridas entre os evangélicos atuais: uma diz que ser próspero é ter dinheiro e saúde e a outra diz que se tudo estiver bem, alguma coisa está errada em sua vida espiritual;
  •          Aparentemente, existe base bíblica para sustentar essas duas crenças, porém isso seria contradição e, como bem sabemos, a Bíblia não se contradiz. Por isso é necessário examiná-la cuidadosamente para se chegar a um consenso equilibrado e aceitável de acordo com o caráter divino;
  •          O ser humano, como filho de Deus, necessita estar espiritualmente bem e, como homem, necessita também estar bem física e materialmente. Mas, uma coisa não tem necessariamente que atrapalhar ou ajudar a outra, pois o importante é entender que o Senhor trabalha de maneiras diferentes na vida de cada um;
  •          Jesus Cristo nos resgatou da vida de pecado, não pelo nosso merecimento, mas pela sua graça, para que tenhamos a oportunidade de sermos justificados para a salvação. Essa é a verdadeira prosperidade [Tt 3:3-7 – Porque também nós éramos noutro tempo insensatos, desobedientes, extraviados[2], servindo a várias concupiscências e deleites, vivendo em malícia e inveja, odiosos, odiando-nos uns aos outros. 4Mas quando apareceu a benignidade e amor de Deus, nosso Salvador, para com os homens, 5Não pelas obras de justiça que houvéssemos feito, mas segundo a sua misericórdia, nos salvou pela lavagem da regeneração e da renovação do Espírito Santo, 6Que abundantemente ele derramou sobre nós por Jesus Cristo nosso Salvador; 7Para que, sendo justificados pela sua graça, sejamos feitos herdeiros segundo a esperança da vida eterna.].
A estabilidade espiritual e também
material depende de um raciocínio
equilibrado por parte do crente, pois
aonde há extremismo existe uma
terra muito fértil para crescer os
frutos malignos das heresias e da
intolerância

I – A vida abundante consiste no equilíbrio

1. A matéria superestimada
  •          Superestimar a matéria sem dar importância às coisas espirituais são ensinamentos típicos do materialismo e do ateísmo[3];
  •          Através de várias experiências, e não somente pela Bíblia, o homem pode constatar que nada acontece naturalmente como se não dependesse de uma força sobrenatural, como prega a crença do evolucionismo[4];
  •          O ser humano não é cem por cento matéria e nem cem por cento espírito, mas sim um ser material e espiritual. Isso significa que embora estejamos vivendo num mundo físico e necessitemos de recursos materiais, nossa vida não se resume nisso que se vê, mas é formada, regida e destinada a um plano espiritual;
  •          A complexidade da natureza, tanto humana quanto vegetal, é uma grande prova da existência do sobrenatural, pois nada disso possui a capacidade de ter se formado sozinho sem a ação de um Criador;
  •          O intelecto do homem e as suas manifestações emotivas, que são fatores que definem sua capacidade e limitações, possuem um tão grande equilíbrio e domínio sobre o corpo que são, incontestavelmente, mais uma visível prova da necessidade da existência do Criador;
  •          Portanto, a verdadeira prosperidade consiste tanto no material quanto no espiritual. E isso não significa que haja perfeição em um sentido ou em outro, pois as limitações existem para nos manter dependentes de Deus;
  •          A confiança nos bens materiais provocam a queda, por isso devemos nos empenhar na busca e na prática da justiça divina, pois é ela que nos sustenta e nos renova a cada dia [Pr 11:28 – Aquele que confia nas suas riquezas cairá, mas os justos reverdecerão como a folhagem.].
Os passos de um servo fiel
são direcionados por Deus
e, não importa por onde
pele passe, continua
andando retamente porque
confia naquEle que o
chamou e o ordenou a
caminhar

2. A matéria negada

  •          Sabemos que realmente o mais importante é o lado espiritual e que devemos ter cuidado com o materialismo, mas, por outro lado, precisamos também das coisas materiais como, por exemplo, o dinheiro. Já que não dá para viver sem ele, como devemos então lidar com ele?
  •          Muitos o condenam, porém, o que a Palavra de Deus condena é o amor a ele. Sendo assim, podemos concluir que o problema não é ter dinheiro, mas sim se apegar a ele;
  •          Quando não colocamos nosso coração na benção, mas sim no Abençoador, nossos bens também são abençoados. E uma das formas de saber se aquilo que conquistamos está aprovado por Deus, está na origem da conquista, ou seja: devemos ter a certeza de que aquilo que temos, adquirimos honestamente;
  •          Há adeptos de religiões e seitas que fazem votos de pobreza acreditando que assim estão mais próximos de Deus. Mas em nenhum lugar da Bíblia está escrito que pobreza é sinônimo de alta espiritualidade e muito menos de salvação;
  •          Mesmo que passem por dificuldades, os servos do Senhor não vivem na miséria [Sl 37:23-28 – Os passos de um homem bom são confirmados pelo Senhor, e deleita-se no seu caminho.24Ainda que caia, não ficará prostrado, pois o Senhor o sustém com a sua mão. 25Fui moço, e agora sou velho; mas nunca vi desamparado o justo, nem a sua semente a mendigar o pão. 26Compadece-se sempre, e empresta, e a sua semente é abençoada. 27Aparta-te do mal e faze o bem; e terás morada para sempre. 28Porque o Senhor ama o juízo e não desampara os seus santos; eles são preservados para sempre; mas a semente dos ímpios será desarraigada.].
Ser realmente pobre é não
dar a devida importância às
coisas sagradas; essa verdadeira
miséria é consequência da falta
de conhecimento e da
desobediência à Palavra de Deus

II – Corrigindo os erros acerca da pobreza

1. Pobreza e pecado
  •          Apesar de a pobreza ser uma consequência da desobediência do homem no jardim do Éden, ela não é um sinônimo[5] de maldição ou de pecado. Muitos servos de Deus foram pobres e não estavam amaldiçoados e nem em pecado;
  •          A Palavra nos mostra que a pobreza, desde muito tempo atrás, é também uma consequência de vários fatores relacionados ao próprio homem como, por exemplo: invasões de nações inimigas, guerras, secas, colheitas arruinadas por pragas ou más condições climáticas, dívidas que resultavam em escravidão e até mesmo a preguiça. Hoje, apesar de alguns motivos serem diferentes, as razões são praticamente as mesmas e se resumem basicamente na má distribuição social de rendas e o desemprego, e na má administração pessoal e falta de estudos para se conseguir um salário melhor;
  •          A Igreja Primitiva resolveu essa questão realizando obras de assistência social entre seus membros, o que a nossa Igreja tem feito?
  •          Ajudar ao próximo é um ensinamento bíblico, o qual mostra que o amor não pode ser apenas na aparência, mas também prática [Tg 2:15,16 – E, se o irmão ou a irmã estiverem nus, e tiverem falta de mantimento quotidiano, 16E algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos, e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito virá daí?].
Se todos dizem pregar o verdadeiro
Evangelho, por que não ensinam o
povo a agir e a orar como Jesus
Cristo agia e orava?

2. A pobreza magicamente extinta

  •          Os triunfalistas pregam que a pobreza é o resultado da falta de fé ou do pecado, como se eles tivessem uma fé inabalável, uma tremenda santidade e, em virtude dessas super qualidades, não passassem por nenhum problema na vida como doenças ou dificuldades financeiras;
  •          Dessa maneira, eles passam a impressão de que o servo de Deus só enfrenta dificuldades se quiser porque todas as bênçãos estão à sua disposição, mas com uma condição, é claro: fidelidade nos votos de sacrifício para abençoar seus ministérios;
  •          Alguns desses exploradores da fé alheia chegam até mesmo a afirmar que pobreza e doenças são coisas diabólicas. Quem nunca recebeu uma “profecia” declarando que seus problemas são resultado de trabalhos de despachos[6]de macumba[7]? Claro que nós sabemos que essas coisas existem e que pegam as pessoas que estão espiritualmente despreparadas, mas a grande maioria dessas “revelações” são apenas técnicas psicológicas aplicadas para aterrorizar as pessoas sem muito conhecimento bíblico na intenção de extrair delas aquilo que esses tais “profetas” bem querem;
  •          A maioria dos profetas, discípulos e apóstolos não possuíam muitos bens materiais, alguns deles, inclusive, precisavam é de ajuda para se manterem, mas, por outro lado, abençoavam muita gente através de sua unção espiritual;
  •          Conforme aprendemos em 1ª Timóteo 6:9, os que buscam riquezas não resistem às tentações, são vítimas de armadilhas, se entregam aos desejos insanos e prejudiciais, e são afundados na desgraça e na destruição;
  •          As campanhas de prosperidade, de um modo geral, oferecem enriquecimento mágico , mas acabam mesmo é induzindo às pessoas à insensatez e à avareza;
  •          Não precisamos disso, pois em Hebreus 13:5 vemos que nossa prática de rotina diária deve ser sem avareza, acostumando-nos a nos contentarmos com o que temos, porque o Senhor Jesus disse que não nos deixará e nem nos desamparará;
  •          Sempre existiram e continuarão existindo os pobres no meio da Igreja. E é interessante ressaltar que, sendo um experiente homem de Deus, o apóstolo Paulo não fez nenhuma grande campanha espiritual para acabar com a pobreza, e sim envolvia as igrejas por onde passava em campanhas sociais para coletar ajuda material aos irmãos necessitados [Rm 15:25-27 – Mas agora vou a Jerusalém para ministrar aos santos. 26Porque pareceu bem à macedônia[8] e à Acaia[9]fazerem uma coleta para os pobres dentre os santos que estão em Jerusalém.27Isto lhes pareceu bem, como devedores que são para com eles. Porque, se os gentios foram participantes dos seus bens espirituais, devem também ministrar-lhes os temporais.].
O pouco com Deus é muito; e o
muito sem Deus é nada! Por isso
devemos agradecer e adorá-lo em
qualquer circunstância

III – A vida abundante não superestima o corpo nem nega a alma

1. A vida abundante é equilibrada
  •          Sabemos que realmente as situações vividas pelos personagens bíblicos ocorreram há muito tempo atrás, porém, sabemos também que Deus não mudou e que seus princípios de ação são os mesmos, ainda que aplicados de maneiras diferentes devido ao tempo em que vivemos. Então, sendo a validade de sua Palavra totalmente atual, temos que aceitar também tudo o que ela nos ensina a respeito de nossa postura em relação aos bens materiais;
  •          Em Provérbios 30:7-9, através da vida de Agur[10], Deus nos ensina que devemos aprender duas coisas: a nos afastar da vaidade juntamente com a mentira, e a não pedir pobreza e nem riqueza, mas sim apenas o que é necessário para a nossa sobrevivência, para que se tivermos muito não venhamos a nos considerar independentes do Senhor, ou que se tivermos pouco venhamos a viver desonestamente, desonrando e escandalizando o Evangelho porque somos publicamente conhecidos como cristãos;
  •          Ter uma vida abundante é conseguir viver da suficiência divina;
  •          O crente equilibrado não se entrega ao sofrimento em situações difíceis e nem se ensoberbece quando está na bonança [Fp 4:12 – Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade.].
O culto de adoração ao corpo traz
sérias consequências ao ser
humano; a vaidade e a auto-estima
elevada, através de um excessivo
cuidado com a saúde física podem
ocasionar sérias doenças e destruir
aquilo que, de acordo com a Bíblia,
é o templo do Espírito Santo

2. Bem-estar físico e emocional

  •          A busca obsessiva pela saúde física e sentimental tem se tornado uma das maiores doenças entre os crentes no mundo atual;
  •          Cuidar do corpo realmente é um mandamento da mordomia cristã, mas literalmente adorar sua estrutura física e encarar qualquer tipo de doença como uma maldição inaceitável, é idolatria a si mesmo e consiste em pecado contra Deus;
  •          É claro que devemos nos cuidar para não sermos vítimas de um enfarte[11] ou parada cardíaca[12], mas queimar umas gordurinhas não pode ser considerado mais importante do que queimar as imundícies que muitas vezes invadem a nossa alma;
  •          O cuidado excessivo do corpo prejudica a mente e, ironicamente, produz mais doenças como por exemplo: muitas modelos escravas do mundo da moda reduzem a alimentação e acabam sendo vítimas da anorexia[13], e homens presos a um tolo sonho de obter exagerada força física, acabam abusando do usos de anabolizantes[14] e outras drogas para aumentar a massa muscular e abreviam sua vida tendo uma horrível aparência de pele flácida[15] e inúmeras doenças que causam debilitações[16];
  •          A Bíblia nos ensina em 2ª Coríntios 5:1 que esse corpo um dia será desfeito, ou seja: que a qualquer momento morreremos, por isso o mais importante é cuidarmos de nossa saúde espiritual porque temos a promessa de um corpo celestial que viverá eternamente;
  •          Por mais que seja importante cuidar da saúde física e orar pedindo cura, a nossa maior preocupação tem que ser com o bem-estar espiritual [2ª Co 5:2 – E por isso também gememos, desejando ser revestidos da nossa habitação, que é do céu;].
O que realmente devemos
exercitar é a nossa saúde
espiritual, porque somente
assim teremos força e
disposição para continuarmos
trabalhando para o Senhor e
caminhando rumo ao Reino
celestial

3. O bem-estar espiritual

  •          Os fantasiosos pregadores da prosperidade espalharam a ideia de que o bem-estar físico se reflete no bem-estar-espiritual, levando a entender que doenças são obrigatoriamente resultados do pecado ou da falta de fé;
  •          Mas em Salmos 34:19 está escrito que muitas são as aflições do justo e que o Senhor nos livra de todas. Isso significa que mesmo tendo o livramento divino, não deixaremos de passar pelas aflições. Pois quando a Palavra nos diz que tudo podemos naquEle que nos fortalece, ela expressa esse fortalecimento com uma ideia de força e consolo para suportar as dificuldades e não de capacidade para viver sem ela;
  •          Homens de Deus como o patriarca Jó e o apóstolo Paulo sofreram muito, mas eles, como também os outros que passaram por grandes aflições, não estavam em pecado e nem lhes faltava fé;
  •          Em todos esses casos, o sofrimento serviu para que eles viessem a conhecer mais a Deus e serem lapidados por Ele. No entanto, a Bíblia não diz também que temos obrigatoriamente que passar por grandes dificuldades para termos uma elevada vida espiritual ou a salvação, mas ela mostra que o Senhor age de diferentes formas na vida de cada um, de acordo com o seu propósito e também conforme a nossa obediência;
  •          Ter fé não é ter um corpo perfeito, mas sim ter a esperança de deixá-lo para ir morar no céu [2ª Co 5:7,8 – (Porque andamos por fé, e não por vista).8Mas temos confiança e desejamos antes deixar este corpo, para habitar com o Senhor.].
Somente aqueles que estão fortificados
na graça é que sabem o que realmente
significa ser próspero

Conclusão

·         A verdadeira prosperidade está muito acima da aquisição[17]de muitos bens materiais ou saúde perfeita;
·         Ela depende totalmente de uma íntima comunhão obtida através da obediência ao Pai Celestial;
·         Ele jamais nos abandonará, temos a grande promessa de que não ficaremos órfãos;
·         Somente em Jesus temos a verdadeira prosperidade, e é nEle que devemos buscar forças para vencermos tanto espiritual quanto materialmente [2ª Tm 2:1 – Tu, pois, meu filho, fortifica-te na graça que há em Cristo Jesus.].

A teoria do evolucionismo prega
que tudo, inclusive o homem, não
foi criado, mas tem evoluído ao
longo do tempo; porém, nós que
temos grandes experiências com o
Criador, podemos garantir que a
verdadeira evolução do ser
humano está em poder
aproximar-se cada vez mais dEle

[1]Equivocado: Enganado, iludido.

[2]Extraviado: Desencaminhado, pervertido.
[3]Ateísmo: Convicção de que não existe Deus e nenhuma outra força ou manifestação sobrenatural.
[4]Evolucionismo: Doutrina fundada na ideia de evolução e, mais particularmente, conjunto das teorias explicativas do mecanismo da evolução dos seres vivos (lamarckismo, darwinismo, mutacionismo).Essa crença prega que o universo e os seres vivos não foram criados, mas que surgiram por si só no universo e estão evoluindo com o passar dos tempos.
[5]Sinônimo: Palavra com o mesmo significado ou coisa com o mesmo sentido que outra.
[6]Despacho: Qualquer oferenda às divindades afro-brasileiras para conseguir os seus favores. O despacho também pode ser feito para prejudicar alguém em especial ou para realizar a transferência dos males de quem o oferece para a primeira pessoa que tocar nele. Em todos os casos é deixado nas encruzilhadas das ruas e caminhos, ou, na Bahia, junto de uma gameleira branca sagrada. Os animais sacrificados e os objetos oferecidos variam de acordo com os orixás a que são destinados. É também uma cerimônia que inicia as festas do candomblé baiano. Trata-se de uma homenagem a Exu, mensageiro e criado dos orixás, para que deles se consiga o que se quer, e sobretudo para que ele não desencadeie as forças do mal, que detém nas mãos, contra o terreiro. Despachar Exu é entretê-lo, ou enviá-lo a determinados objetivos, bons ou maus. O despacho consiste geralmente numa oferta de alimentos preferidos de Exu, pipocas, farofa de azeite-de-dendê, ou no sacrifício de animais a ele dedicados, cão, galo, ou bode, de preferência pretos. Nesse sentido, despacho é sinônimo de padê-de-Exu.
[7]Macumba: Culto fetichista de origem africana, com influências católicas e espíritas, que se desenrola em meio a danças, esgares e cânticos rituais, ao som de instrumentos de percussão. Embrulho com farofa, azeite-de-dendê e restos de galinha, o qual, acompanhado de uma garrafa de cachaça, charutos e tocos de vela acesos, é depositado em certos lugares, especialmente esquinas e encruzilhadas, para trazer malefício a alguém ou influir na vontade alheia
[8]Macedônia: É uma região do sudeste da Europa, que ocupa a parte central do que agora se conhece como a Península Balcânica. Foi, em tempos, uma província romana que se estendia desde o Mar Adriático, no Oeste, até o Mar Egeu, no Leste, e ficava ao Norte da Acaia. Foi a primeira região da Europa a ser visitada pelo apóstolo Paulo na sua segunda viagem missionária. Enquanto Paulo estava em Trôade, na Ásia Menor, teve uma visão que o mandava à Macedônia (At 16:8, 9). Paulo, junto com Lucas, Timóteo e Silas, partiu para a Macedônia. Depois de chegar a Neápolis, o porto de Filipos, Paulo dirigiu-se à cidade de Filipos (At 16:11-40). Lucas permaneceu em Filipos quando Paulo, Silas e Timóteo percorreram as cidades macedônias de Anfípolis (uns 50 km de Filipos) e Apolônia (uns 50 km de Anfípolis). A seguir, Paulo visitou respectivamente as cidades macedônias de Tessalônica (uns 60 km de Apolônia) e Beréia (uns 80 km de Tessalônica). O bom relatório que Timóteo trouxe, ao retornar, induziu Paulo a escrever a sua primeira carta aos tessalonicenses (1ª Ts 3:6; At 18:5). A sua segunda carta aos tessalonicenses seguiu-se pouco depois.
[9]Acaia: Nos tempos do NT, era uma província romana. No tempo de Homero, a Acaia designava toda a Grécia, que era habitada pelos acaianos; depois, durante algum tempo, passou a designar apenas a costa sul do Golfo de Corinto. Quando a Grécia caiu sob domínio romano no século II AC, o território foi adstrito (146 AC) à província da Macedônia mas em 27 AC organizou-se como província autônoma. No ano 15 DC, uniu-se novamente à vizinha Macedônia, ficando sob a alçada de um administrador imperial, até que Cláudio, em 44 DC, devolveu a província ao Senado. Foi, depois, administrada separadamente por um procônsul, que tinha a sua sede em Corinto (cf. At 18:12). Os seus limites iam até Tessalônica, no sul da Grécia. Paulo esteve em Acaia, pela primeira vez, por volta de 51 DC, durante a sua 2ª viagem missionária e visitou as cidades de Atenas, Corinto e Cencréia (At 17:16 a 18:18). Tornou a visitar a província no inverno de 57/58 DC durante a sua 3ª viagem missionária (At 19:21). Apolo também pregou o Evangelho nesta província (At 18:24, 27; cf. 1Co 3:3-7; 1Co 16:12).
[10]Agur: Filho de Jaqué, autor de uma coleção de provérbios encontrado na Bíblia, em Provérbios 30. Ele era um célebre professor que se converteu à uma sabedoria maior que a dos homens: A sabedoria de Deus. Pelo nome, provavelmente na era israelita. Agur era um professor árabe de uma tribo ismaelita do norte da Arábia, nomeada Massá (Gênesis 25:13-14). Este escreveu a dois de seus alunos: Itiel e Ucal, deixando a nós um importante legado.
[11]Enfarte: Lesão dos tecidos em consequência de uma perturbação circulatória, e que é seguida as mais das vezes de uma infiltração sanguínea. A causa mais comum dos enfartes é a obliteração de um vaso por arterite, trombose ou embolia.
[12]Parada cardíaca: Parada do coração que na maioria dos casos é decorrente de fibrilação ventricular, a qual é um tipo de arritmia. Na fibrilação ventricular, os ventrículos (câmaras inferiores do coração) não batem normalmente. Quando isso acontece, o coração não bombeia sangue ou bombeia muito pouco. Fibrilação ventricular é fatal se não for tratada dentre de alguns minutos.
[13]Anorexia: Perda ou ausência de apetite, também usada como sinônimo de hiporexia, diminuição do apetite. Leva a pessoa à uma assustadora aparência de magreza.
[14]Anabolizantes: Medicamentos à base de hormônio masculino testosterona com as características anabólicas (crescimento) e adrogênicas (caracteres sexuais masculino). As finalidades são terapêuticas nos casos de tratamento de doenças como anemia, alguns tipos de câncer, casos de reposição hormonal, atrofias musculares causadas por certos tipos de doenças ou acidentes traumáticos. 
[15]Flácido: Mole, lânguido, relaxado: carnes flácidas.
[16]Debilitação: Enfraquecimento.
[17]Aquisição: Ato de adquirir.

Estudo Bíblico Baseado na Escola Bíblica Dominical da CPAD 
1º Trimestre de 2012 – Lição 13
Aula ministrada por mim na AD Belém – Setor 20 (Arujá/SP) – Pq. Rodrigo Barreto I

Jonas Martins Olímpio

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s