Como o crente deve constituir e se relacionar com a sua família?

Cuidar de uma família é mais
do que cumprir uma tarefa
social; é uma grande
responsabilidade assumida
diante de Deus
    Sabemos que a família é a primeira instituição[1] de convívio social criada por Deus. Quando Ele criou o homem, imediatamente fez para ele uma mulher, os abençoou, deu-lhes autoridade sobre todas as coisas e ordenou-lhes que se multiplicassem. Isso mostra como a família é de grande importância para o Criador. O casamento é tão importante que se não for constituído com a aprovação de Deus, não resultará numa família abençoada. Mas qual é o segredo para usufruirmos das bênçãos divinas dentro de nosso lar? A resposta simples: se queremos que algo seja abençoado, devemos antes apresentá-lo diante de Deus; então, em relação à família, devemos apresentar todo o nosso lar a Ele; e, como sabemos, apresentar a Deus é uma forma de santificar e tudo o que é santificado deve ser puro, e pureza significa estar dentro da vontade do Senhor. Se queremos que um edifício seja firme e resistente, a sua estrutura deve ser sólida… Portanto, podemos definir que a nossa família só será abençoada se a sua estrutura for sólida. E a estrutura de um lar é o
casal, se ele não estiver edificado em Cristo, a qualquer momento tudo poderá desmoronar; é por isso que estamos vendo tantas famílias serem destruídas: apesar de muitos pensarem que são abençoados, a maioria está completamente fora da vontade de Deus. O casal deve estar sempre atento se está agindo sob a direção do Senhor. E para fazer Sua vontade, deve-se observar os mínimos detalhes, até mesmo os mais ignorados, como por exemplo: as pequenas intrigas, o que entra em casa, a postura diante da sociedade e, entre várias outras coisas, o comportamento sexual. E para conciliar tudo isso o segredo está logo no início da vida conjugal: A escolha certa, dentro do convívio cristão, é essencial para um casamento de sucesso! Pois quem não tem a mesma fé em Cristo (quem não é crente) não concordará com uma vida de santificação. A diabólica “cultura” atual diz que devemos ficar com várias pessoas para sabermos qual é ideal, e isso tem sido uma mera desculpa dos escravos de Satanás pra satisfazerem seus desejos carnais. Porque, Deus fez todas as pessoas, as conhece muito bem e sabe qual delas é melhor para você. Por isso, ao invés de simplesmente escolher, que tal pedir a “opinião” dEle antes? Você já santificou sua família a Cristo?
A união matrimonial entre o
homem e a mulher foi instituída
por Deus

    Analisando esse assunto dentro da Palavra vemos que logo no início, como está relatado em Gênesis 2:24, Deus já disse o seguinte:  Portanto, deixará o varão o seu pai e a sua mãe e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne. Vejamos agora, como isso funciona na prática de nossa vida conjugal: 

Uma família só pode ser
verdadeiramente feliz se viver
dentro dos padrões divinos

·                     Como crentes precisamos entender que uma união ou relação sexual fora do casamento é adultério[2] (1ª Co 7:9);

·                     E só devem se casar havendo absoluta certeza de ambas as partes pois divórcio não é pra crente (Mt 19:9[3]);
·                     A separação só é permitida em caso de morte (Rm 7:2,3; 1ª Co 7:39), abandono (1ª Co 7:15) ou adultério (Mt 5:32) de um dos cônjuges;
·                     Para o casamento ser bem sucedido tem que haver amor entre o casal (Ef 5:22,25);
·                     Os dois devem ser cristãos (1ª Co 6:15-18);
·                     Caso tenham se casado antes da conversão, o crente deve procurar, sabiamente, ganhar a alma do seu cônjuge (1ª Pe 3:1);
·                     O homem é o chefe da casa (Ef 5:23,24),
·                     Apesar de ser o chefe da casa, o homem não deve desprezar a sabedoria da mulher (Pr 14:1);
·                     É necessário saberem se perdoar, para que suas orações sejam ouvidas (1ª Pe 3:7);
·                     Os filhos devem ser bem ensinados para nunca se desviarem (Pr 22:6);
·                     Quanto às nossas atitudes sexuais devemos saber o seguinte: deve-se respeitar um ao outro (1ª Co 7:3,4[4]);
·                     Não se deve rejeitar o sexo, a não ser por consagração espiritual (1ª Co 7:5);
·                     O nosso corpo é templo do Espírito Santo, por isso o sexo não pode ser praticado de qualquer maneira (1ª Ts 4:3-5[5]);
·                     Alguns, estupidamente, ignoram o fato de que o prazer é um direito não só do homem mas também da mulher (Gn 18:12);
·                     Qualquer desejo por outra pessoa tem que ser repreendido, porque é adultério (Mt 5:28-30[6])!
Uma das armas mais utilizadas
por Satanás para desagregar a
família são o álcool e as drogas;
essa é uma das razões pelas quais
os verdadeiros cristãos são
totalmente contra a prática do vício
    Então, podemos concluir que, esses são os procedimentos básicos dentro dos princípios cristãos que devemos seguir para termos uma família feliz e um lar abençoado: A união do casal tem que ter a bênção de Deus; não se deve nem pensar em divórcio; é preciso haver amor; o crente jamais deve se casar com alguém do mundo; e caso isso aconteça, é preciso tentar ganha-lo pra Jesus; o homem é o chefe da família, porém a mulher merece respeito sendo sua ajudadora; contendas devem ser evitadas mas, caso aconteçam, o perdão essencial; e os filhos devem ter uma educação verdadeiramente cristã; quanto ao sexo, tem que haver respeito mútuo; nada pode ser desculpa para rejeição; não pode ser praticado de qualquer maneira; as mulheres tem os mesmos direitos que os homens; e o adultério é inadmissível. Portanto, andemos na direção do Senhor: só assim a nossa descendência herdará bênçãos e não maldições!



[1]Instituição: Organização. Complexo integrado por idéias, padrões de comportamento, relações inter-humanas e, muitas vezes, um equipamento material organizados em torno de um interesse socialmente reconhecido.
[2]Adultério: Relação sexual que um homem casado tem com uma mulher que não é sua esposa ou vice-versa  (Jr 23:10; Jo 8:3).
[3]Repudiar: Divorciar-se; Repudiar a esposa. Renunciar voluntariamente: Repudiar uma herança, um legado. Arredar de si; rejeitar, repelir: Repudiar as vantagens oferecidas.
[4]Benevolência: Boa vontade para com alguém (Et 2:17; Pr 18:22).
[5]Defraudar: Tirar o direito de alguém.
[6]Atentar: Olhar, ver (Dt 26:7). Dar atenção (Pv 16:20). Fixar a atenção (2º Co 4:18).

Jonas M. Olímpio

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s