Orando com sabedoria

Sabedoria é essencial para 
qualquer tipo de conquista; e 
verdadeira sabedoria só é 
adquirida através do
conhecimento da Palavra de 
Deus.
    A oração não tem segredo, porém deve ser feita com sabedoria, caso contrário ela pode se tornar um simples ritual cheio de formalidades ou um ato completamente desordenado. Muitos crentes acreditam que se deva exclusivamente orar em voz alta, de joelhos e de olhos abertos; não que isso seja errado, muito pelo contrário, mas e quando não há possibilidade para isso? Será que Deus não recebe orações feitas de outras maneiras? Para evitar tais erros, basta observarmos que a Bíblia ensina que devemos agir com ordem e decência (1ª Co 14:40), e isso, logicamente, também inclui a oração. Quando não temos equilíbrio sobre a forma como nos dirigimos a Deus, nos tornamos meros fanáticos que em vez de bênçãos podem conquistar problemas. Será que é exagero? Então vejamos alguns exemplos:
Para julgar a espiritualidade de
alguém é necessário ter o dom
de discernimento de espíritos,
mas para julgar as atitudes
descontroladas de certos
crentes basta ter conhecimento
da Palavra de Deus

    Conheço muita gente que pensa que para ser ouvido por Deus tem que orar em voz
alta, e muitas vezes, bem alta mesmo. Nada contra! Até acho isso muito eficiente porque ajuda o orador a controlar melhor suas palavras tendo mais noção do que está dizendo. Mas, por outro lado, existem alguns meninos na fé (1ª Co 13:11[1]; 14:20) que acreditam que a verbalização[2] de sua “conversa com Jeová” seja a única forma de ser ouvido por Ele, chegando até mesmo a se levantar de madrugada acordando a família e os vizinhos movido pela empolgação de suas sonoras preces. E é aí que o negócio complica. Será que eu estou sendo muito implicante? Então imagina bem: suponhamos que você, ou alguém por quem você queira orar, esteja passando por um sério problema e não queira que ninguém saiba disso. Derrepente, quando for orar na igreja, ou em qualquer outro lugar que haja alguém por perto, comece a se abrir com Deus expondo em voz alta toda a sua intimidade; que situação constrangedora, não? E é exatamente isso que muita gente faz. E sabe quais são os perigos disso? Além do seu constrangimento pessoal ou do indivíduo para quem você está orando, esse tipo de atitude abre brechas para as ações de falsos profetas, pois fica bem mais fácil para eles “profetizarem” sobre sua vida sabendo o que está se passando; vai expor a tua vida te fazendo perder a credibilidade ou virar motivo de fofocas ou de zombaria diante daqueles que não têm amor e sensibilidade para respeitar e compreender os seus problemas; facilita as investidas de satanás, porque ele não é onisciente mas te vê e te ouve e, sabendo o que você está pedindo ao Senhor, vai ter mais facilidade para fazer falsos sinais para te confundir. Enfim, a oração em voz alta só é recomendável mesmo em lugares isolados ou na igreja durante as orações formais, nas quais as palavras também devem ser sabiamente controladas (Cl 4:5[3]).

Temos o direito de nos colocar
na presença de Deus da maneira 

que nos sentirmos melhor, mas 
isso deve ser feito com prudência 
em lugares adequados, e tendo 
consciência de que nossa
posição física não é um fator
determinante para que as
orações sejam ouvidas

    Muitos acham que só se deve orar de joelhos ou em pé, mas não há nenhuma determinação bíblica com relação a isso. É claro que não podemos desconsiderar o fato de que quando nos colocamos de joelhos estamos demonstrando reverência diante do Senhor e reconhecendo a superioridade do seu poder sobre nós e, da mesma forma, quando nos pomos de pé para falarmos com Ele significa que temos respeito por sua pessoa. Mas, nem sempre é possível orarmos de joelhos ou em pé. Quando estamos, por exemplo, num ambiente de trabalho, cansados, enfermos, ou em diversas outras situações, temos que orar sentados, agachados, deitados ou andando, e nem por isso Ele deixará de ouvir nosso clamor ou aceitar a nossa adoração. Imagine a seguinte situação: em seu ambiente de trabalho alguém te expõe uma situação que precisa de uma resposta imediata; e você, sabendo que o crente não deve tomar nenhuma decisão sem a direção divina vai se por de joelhos diante de todos num momento de emergência? É claro que não! Em primeiro lugar porque não há tempo para isso e, em segundo lugar porque você não deve escandalizar diante dos incrédulos; por isso o crente deve estar sempre espiritualmente preparado e o tempo todo clamando ao Senhor em seu pensamento, que Ele sempre te dará a direção certa (Sl 17:5,6[4]). O que realmente importa para Deus não é a posição física em que nos encontramos quando falamos com Ele, mas sim, a posição do nosso coração (Tg 5:16).

É bastante respeitável a
recomendação e o costume de
orar com os olhos fechados,
mas isso não garante que
todos os que estejam de 

olhos fechados estejam 
realmente concentrados 
na oração

    Há também pessoas que acham que somente devemos orar de olhos fechados, porém nem sempre isso é possível, pois em determinadas situações somos obrigados a orar de olhos abertos, como por exemplo: quando estamos expulsando um demônio, acalmando uma pessoa violenta, trabalhando, andando, dirigindo e em diversas outras situações em que sentimos a necessidade de clamar ao Senhor ou desejo de adorá-lo falando com Ele. Imagina só se você está dirigindo um veículo em alta velocidade e derrepente, quando precisar parar, percebe que está sem freios e ao invés de tentar desviar dos obstáculos, simplesmente fechar os olhos para pedir a misericórdia de Deus; nesse caso a misericórdia dEle vai ser apenas para receber a sua alma porque, embora haja exceções entre casos e casos, Ele não vai parar o carro com as mãos sendo que já ouviu e atendeu o seu clamor e te deu graça e sabedoria pra isso, ou seja: não é o fato da “irreverência” de ter orado com os olhos abertos que vai te impedir de receber seu livramento. Inegavelmente, é óbvio que de olhos fechados nos concentramos bem mais pelo fato de não nos distrairmos com nada a nossa volta e temos maior facilidade de sentir a presença de Deus, porém, para tudo há um momento certo e jamais devemos nos esquecer que a oração e a vigilância devem caminhar juntas (Mt 26:41a; 10:16[5]).

Realmente Deus tem poder para
agir como quiser e ninguém pode
impedi-lo; mas tudo tem a hora e
o lugar, e o Espírito Santo não
age por possessão: Ele respeita
a nossa liberdade sem dominar
os nossos impulsos emocionais
e físicos como muitos pensam

    Ainda há outras situações a considerar como, por exemplo, as atitudes descabidas de alguns “pentecostais do reteté[6]” que estão sempre muito cheios de “fogo” e que quando vão orar para um enfermo fazem um rebuliço[7] tão grande que a pessoa que já estava doente, ao invés de receber a cura, acaba é ficando estressada além de escandalizada. Dizem eles que aonde há poder há barulho; agora eu quero que me digam aonde está escrito isso na Bíblia. Antes de prosseguir, quero deixar bem claro que eu também sou pentecostal e que não tenho nada contra o barulho, mas tudo tem o seu momento certo e Deus, muitas vezes, também trabalha no silêncio. É necessário entender que certas manifestações, mesmo que sejam genuinamente espirituais, não podem ser praticadas em qualquer lugar porque os ímpios não entendem isso. Para exercermos nossa liberdade temos os nossos templos, nossos lares e também podemos orar em lugares isolados. Além do mais, nossa maior preocupação é que grande parte dessas manifestações não é verdadeiramente espiritual, e não é uma questão de opinião, é a Palavra que nos dá o direito de julgar os espíritos (1ª Jo 4:1; Pr 14:15), e se o próprio Deus nos dá esse direito é porque realmente em nosso meio podem ocorrer, e realmente ocorrem, manifestações que não provém do alto (2ª Pe 2:1). Por isso, o crente precisa buscar o dom de discernimento (1ª Co 2:14:15), e o conhecimento da Palavra (Jo 5:39). “Dar lugar” ao Espírito Santo não significa fazer tudo o que dá na teia como se não pudesse se conter (1ª Co 14:33), pois as nossas emoções podem e devem ser controladas por nós mesmos (1ª Co 14:32). A forma infalível de saber se uma manifestação provém de Deus ou não, é analisar se ela está de acordo com a Palavra, ou seja: através da forma como agem e falam aqueles que se dizem estar cheios do Espírito Santo; vou apenas citar aqui alguns poucos exemplos de verdadeiras heresias[8] que esses tais “vasos”, em suas pregações ou orações sem sabedoria, falam quando dizem estarem tomados pelo poder de Deus:

·        
Aquele que ora e prega com 
sabedoria é realmente usado 

poderosamente por Deus e 

ganha almas sem trazer 
escândalos 
ao Evangelho



    “Nós vamos orar e a irmã vai louvar um hino!”

    Então quer dizer que precisa criar um clima pra “ajudar” na oração (Rm 8:26[9])? E, mais uma coisa: É pra louvar o hino, ou pra louvar a Deus (Sl 40:3; 144:9[10])?
·        
    “Crente que não faz barulho tem defeito de fabricação!”
    Tem certeza que não é ao contrário? Que tipo de crente Jesus era quando esteve na terra (Mt 11:29[11])?
·        
    “Deixe todos os seus problemas lá fora porque a igreja é lugar de adoração!”
    Mas a igreja também não é lugar de buscar ajuda e consolo (1ª Sm 1:12-16[12] [13] [14])?
·        
    “Tem fogo aí, irmãos? Manda fogo, Jesus!”
    Quando eles falam de fogo, geralmente se referem ao barulho de glorificação e línguas estranhas: tudo ao mesmo tempo (1ª Co 14:9,12-14[15])!
·        
    “Queima ele, Jesus!”
    Qual será a intenção de quem diz isso (Lc 9:52-56[16] [17])?
·        
     “Aonde está o caixão? Esse culto tá com cara de velório!”
    Será que alguém tem o direito de julgar os que estão cultuando e meditando calados, e de ofender cada um dos membros do Corpo de Cristo xingando-o de morto ou de qualquer outra coisa como, por exemplo, “boca de concreto”, “gelatina”, “chupador de limão”, “estátua” e muitas outras asneiras mais (Rm 14:10)?
·        
    “Dê liberdade ao Espírito Santo: pode pular e plantar bananeira!”
    O Espírito Santo está preso (Jo 3:8)? E, além do mais, liberdade é só isso (1ª Co 6:20)?
·        
    “Sapateia com o sapato de fogo de Jeová!”
    Além de ter que sapatear, ainda precisa ser com um sapato especial? Que tal levar as coisas mais a sério? Pois esse fogo tem que arder é dentro de nós e não em nossos pés (Mt 3:11[18])!
·        
    “Estou passando a minha unção espiritual pra você!”.
    Antigamente essa função era do Espírito Santo, né (1ª Co 12:11)?
·        
    “Comecem a orar e falar em línguas!”
    É simples! Só ouvir a ordem e obedecer! Qualquer um pode (1ª Co 7:7)!
·        
    “Sente aí o manto[19] de mistério!”
    Esse manto é misterioso mesmo, encontrei essa palavra 24 vezes na Bíblia (23 só no Antigo Testamento), mas não vi nenhuma relação com poder espiritual (Mt 22:29).
·        
    “Tá amarrado!”
    Que bom que tá amarrado! Mas, e agora, o que vamos fazer com ele? E, já que estamos falando nisso, aonde é que está escrito isso na Bíblia mesmo (Pr 2:1-6)?
·        
    “Todos os demônios estão sendo queimados agora!”
    Impressionante! Esse aí é tão poderoso que não precisa nem esperar o Juízo Final (Ap 20:10[20] [21] [22])!
·        
    “Abra a boca e grite! Deus não é surdo, mas o diabo precisa ouvir!”
    Então quer dizer que o diabo só sai na base do grito (Tg 4:7)?
·        
    “Deus está me revelando que essa é a geração do arrebatamento!”
    Esse aí tem mais privilégio do que Jesus (Mc 13:32[23])?
·        
    “Não se preocupe com as contas! Tenha fé e dê tudo o que você tem, porque Deus vai te restituir em dobro!”
    Não se preocupe mesmo! Coloque tudo na conta de Deus (2ª Co 8:11,12; 9:7; Êx 25:2[24]; 35:5)!
·        
    “Se você é fiel dizimista e ofertante, pode colocar Deus contra a parede!”
    Isso quer dizer que o dízimo e as ofertas são um investimento que transformam Deus em nosso devedor e ainda nos dão o direito de cobrá-lo (Ml 3:10[25] [26] [27] [28])? Interessante! Agora, quanto àquela idéia de colocar Deus contra a parede, acho que não é muito recomendável não, hein (Dt 6:15,16[29])?
·        
    “Pega ele aí, Espírito Santo! Chacoalha ele!”
    Cuidado, porque depois da “era da unção pentecostal” aquele negócio de “não é por força e nem por violência” já era (Zc 4:6[30])!
·        
    “Pode profetizar! Há poder em nossas palavras!”
    Engraçado! Pensei que a Palavra fosse de Deus (2ª Pe 1:21).
·        
    “Se Deus não cumprir o que estou falando, eu rasgo minha Bíblia e paro de pregar!”
    Agora é Deus que está sob a ordem do homem, senão ele não vai mais querer fazer o “favor” de pregar a Palavra dEle (Mt 4:5-7[31])!
·        
    “Eu deixo de ser crente se Deus não operar um milagre hoje!”
    Isso sim que é uma profecia sincera (1ª Jo 2:19)!
·        
    “Quem tem um caroço coloque a mão sobre ele porque Jesus vai curar agora!”
    Hoje é o culto da cura do caroço, para outras enfermidades, por favor, volte outro dia (Jo 5:17)! E só mais uma coisinha, quem não tiver mão, sem chance, porque só vai ser curado quem puser a mão sobre a enfermidade (Lc 17:12-14; Jr 23:23)! Só espero que ela não esteja num lugar muito constrangedor!
·        
    “Se não der testemunho da cura, o caroço vai voltar!”
    Não deixe de falar o quanto o Senhor tem me usado (Mc 1:44; 7:36; Lc 8:55), porque eu tenho poder pra fazer esse caroço voltar, hein (1ª Pe 2:2,3[32])?
·        
    “Olha o anjo aí! Segura o anjo aí! Luta com ele!”
    Coitado desse anjo! Eu não gostaria de estar no lugar dele não (Cl 2:17-19)!
·        
    “Incendeia tua noiva, Senhor!”
    Que pedido estranho! Se for fogo espiritual, ele tem que partir da noiva, não é mesmo (Jo 4:23)?
·        
    “Herodes foi comido por bicho porque não deu glória a Deus!”
    Confundir o ato de dar honra a Deus com o ato de exaltá-lo verbalmente é, no mínimo, falta de atenção ao contexto[33] da Palavra. Acho que um cursinho básico de Teologia[34], mesmo que seja por correspondência, não faz mal a ninguém! Serve pelo menos para aprender a interpretar alguns versículos bíblicos como esse (At 12:21-23[35]); leia esse texto na versão NTLH.
·        
    A sua vitória é pra hoje, porque o nome de Deus é já!”
    Aquela recomendação de fazer um cursinho teológico também é válida nesse caso, porque se eles prestassem bem atenção, perceberiam que existe um “h” no final da palavra “ja”, a qual também não tem acento agudo no “a” (Jah), esse é um termo hebraico que significa Jeová (Senhor), nada mais do que isso (Sl 68:4)! E, além disso, essa expressão só aparece nas traduções mais antigas, nas mais recentes simplesmente está escrito “Jeová” ou “Senhor”. Isso também é falta de conhecer um pouco melhor a língua portuguesa!
·        
    “O crente não conhece derrota!”
    Pena que os que dizem isso nunca dão a receita, porque a vida deles deve ser um belíssimo mar de rosas (Fp 4:12,13)!
·          
    “Receeeeeeeeebaaaaaaaaaa!”
    Quem não receber depois de um grito desses, não vai receber nunca mais! Aonde estão as regras de ética[36] e boa conduta que a Bíblia também ensina (Tg 3:13)?
·        
    “Esse amém foi pra mim, agora diga bem alto porque é pra Jesus!”
    Será que isso é necessário mesmo? Pois se Ele é onisciente, como mostra a Bíblia, Ele conhece as intenções do nosso coração e os nossos pensamentos e sabe, independentemente da altura de nossa voz, se a nossa glorificação ou o nosso amém é sincero ou não (Mt 9:4; 15:8,9[37])!
    
O poder de Deus não deve ser
utilizado pelo homem como um
grande espetáculo público, mas
sim usado com reverência e
humildade para libertar e
edificar vidas

    Esses são apenas alguns exemplos dos absurdos que temos que ouvir por aí. As intenções desses “papagaios repetidores de frases” são as mais variadas e alguns são tão “sem noção” que até se dizem ser fanáticos[38], porém Deus não quer fanáticos, Ele quer adoradores (Fp 3:6,7); fanatismo é idolatria, e todo o tipo de idolatria é condenado por Jeová (1ª Co 10:14). Muitas dessas pessoas também agem na inocência, porém essa inocência também é falta de se aplicarem mais ao conhecimento da Palavra. É óbvio que a maioria dos jargões[39] acima citados pode até não implicar necessariamente na condenação da alma daqueles que neles acreditam ou pregam e oram dessa forma, porém esses costumes extra-bíblicos[40] devem ser evitados porque geram escândalos e podem desencaminhar, dificultar e até mesmo impedir a conversão de pessoas que não tenham estrutura para compreender, aceitar e conviver com atitudes que não estão de acordo com os preceitos das Escrituras Sagradas. Como já disse antes, não tenho nada contra o barulho, porém temos o direito, e também a obrigação, de analisar se esse barulho provém de Deus, e se estamos exercendo essa liberdade espiritual no momento, no local e da forma certa. Pois quem age com sabedoria traz benefícios à obra do Senhor (Pr 11:30).

A oração feita com sabedoria é
aquela que é feita baseada nos
princípios bíblicos
    Falar com Deus é algo muito sério, por isso em nossas conversas particulares com Ele devemos nos portar com o máximo de reverência possível. Sendo pai, você aceitaria atender aos pedidos de seu filho se ele fosse desobediente, grosseiro e mal-educado contigo? Certamente, mesmo que atendesse, lhe daria umas palmadas ou, pelo menos, uma bela bronca antes, não é mesmo (Pr 3:12)? Respeitar pai e mãe é mandamento divino (Êx 20:12; Lv 20:9), por isso devemos sempre nos lembrar que respeito e sabedoria é tudo quando estamos diante do nosso Pai Celestial (Hb 12:8-10[41]) e, não só em oração, mas também em todo o nosso modo de viver (Tt 2:7,8[42]). Quando Jeová deu a Salomão[43] a oportunidade de pedir o que quisesse, ele foi tão sábio que pediu sabedoria (1º Rs 3:9-12), e essa sabedoria lhe permitiu ser tão bem sucedido em todos os seus negócios a ponto de ser respeitado e procurado por reis de todos os povos que ouviram falar dele (1º Rs 4:34). Uma das principais características de um servo fiel é a humildade (Fp 2:3[44]); e quem é humilde consegue reconhecer os seus pontos fracos, e se um de seus pontos fracos for a falta de sabedoria, peça-a e Ele te dará (Tg 1:5[45]). Será que isso é mesmo importante? A Bíblia diz que o sábio não erra o seu caminho (Pr 15:24[46])!

[1]Discorrer: Nessa versão, a expressão “discorria como menino” significa “pensava como menino” (1ª Co 13:11).
[2]Verbalizar: Falar, emitir voz. Transformar os pensamentos em palavras.
[3]Remindo o tempo: Aproveitando o tempo.
[4]Invocar: Chamar. Implorar o auxílio ou a proteção de alguém. Pedir, suplicar: Invocar auxílio, socorro.
[5]Símplice: Sem maldade.
[6]Reteté: Também chamado de “repleplé”, ninguém sabe ao certo de onde vieram essas expressões. Apenas sabemos que elas se referem aos barulhentos movimentos dos crentes pentecostais, principalmente os mais exagerados. Certamente essas palavras se originaram de alguma brincadeira de mau gosto feita na intenção de imitar as línguas estranhas.
[7]Rebuliço: Barulho, agitação, confusão, balbúrdia, bulha. Tropel de gente; correria. Desordem, discórdia, motim.
[8]Heresia: Doutrina que se opõe aos dogmas da Igreja. Absurdo, contra-senso, disparate. Ato ou palavra ofensiva à religião.
[9]Inexprimível: Indizível, inefável, inexpressável, inexplicável.
[10]Saltério: Antigo instrumento de cordas, parecido com a cítara, que servia para acompanhar o canto dos salmos. Moderno instrumento triangular, com treze ordens de cordas que se ferem com uma palheta. Outros significados: Coleção dos 150 salmos do Antigo Testamento, que compunham o hinário de Israel, destinado às sinagogas e templos israelitas. Residência paroquial; presbitério.
[11]Jugo: Peça de madeira que se prende com correias ao pescoço de animais de carga, para que assim possam puxar uma carroça ou um arado (Nm 19:2; 1º Sm 6:7). Em sentido figurado: domínio, opressão (Gn 27:40; Jr 28:2; Gl 5:1); sofrimento (Lm 3:27); obediência (Mt 11:29-30); aliança (2ª Co 6:14); trabalho (Fp 4:3).
[12]Eli: Significa “altura”. Foi juiz e sumo sacerdote. Não soube educar seus filhos e por isso teve sérios problemas (1º Rs 2:27,35).
[13]Ana: Significa “graça”. Foi a mãe de Samuel (1º Sm 1:1-2:21).
[14]Belial: Pessoa má, sem valor (Jz 19:22; 1Sm 30:22). Diabo ( 2ª Co 6.15).
[15]Sobejar: Progredir, crescer, aumentar.
[16]Samaritano: Pessoa nascida em Samaria (situada na montanha do oriente Médio, no antigo Reino de Israel, entre a Judéia e a Galiléia (atual território da Cisjordânia e de Israel). Os samaritanos pertenciam ao Reino de Judá que era rival das dez tribos do Reino do Norte.  Atualmente existem cerca de 700 samaritanos, eles não se consideram judeus e sim descendentes do antigo Reino de Israel). Israelitas e samaritanos não se davam por causa de diferenças de raça, religião e costumes (2º Rs 17:29; Jo 4:9).
[17]Jerusalém: Significa Lugar de Paz. Cidade situada a uns 50 km do mar Mediterrâneo e a 22 km do mar Morto, a uma altitude de 765 m. O vale do Cedrom fica a leste dela, e o vale de Hinom, a oeste e ao sul. A leste do vale de Cedrom está o Getsêmani e o monte das Oliveiras. Davi tornou Jerusalém a capital do reino unido (2º Sm 5:6-10). Salomão construiu nela o Templo e um palácio. Quando o reino se dividiu, Jerusalém continuou como capital do reino do Sul. Em 587 a.C. a cidade e o Templo foram destruídos por Nabucodonosor (2º Rs 25:1-26). Zorobabel, Neemias e Esdras reconstruíram as muralhas e o Templo, que depois foram mais uma vez destruídos. Depois um novo Templo foi construído por Herodes, o Grande. Tito, general romano, destruiu a cidade e o Templo em 70 d.C. O nome primitivo da cidade, no tempo dos jebuseus, era Jebus (que significa Pisada). Na Bíblia é também chamada de Salém (Gn 14:18), cidade de Davi (1º Rs 2:10), Sião (1º Rs 8:1), cidade de Judá (2º Cr 25:28), cidade de Deus (Sl 46:4) e cidade do grande Rei (Sl 48:2).
[18]Batismo com o Espírito Santo: Promessa cumprida por Jesus de enviar o Consolador (o Espírito Santo), aos seus féis. Seu cumprimento teve início na festa de Pentecostes 50 dias após sua crucificação (Atos 2:1-41). O sinal que mais deixa evidente que a pessoa foi batizada com o Espírito Santo é o ato de falar em línguas estranhas. Isso não pode ser feito por vontade humana, pois é algo sobrenatural que só pode ser manifesto através do poder de Deus sobre a vida do indivíduo.  A partir daí a pessoa se torna mais revestida espiritualmente.
[19]Manto: Peça de roupa que reis, autoridades civis e religiosas e pessoas ricas vestiam por cima das outras roupas (1º Sm 24:4; Lc 23:11). Capa (Js 7:21; Mt 5:40).
[20]Diabo: Significa Enganador. É o anjo caído, também chamado de Satanás (significa adversário), de Lúcifer (significa fonte de luz) e de demônio. É o maior inimigo de Deus e das pessoas (Mt 25:41; Jd 1:6; 2ª Pe 2:4). Tem poder sobre os seres humanos quando permitido por Deus, e não é onipotente.
[21]Enxofre: Elemento amarelo inflamável com cheiro forte que existia em grande quantidade perto do mar Morto (Gn 19:24; Dt 29:23).
[22]Besta: Animal de quatro patas, de grande porte; animal de carga (Is 46:1). Biblicamente é uma criatura maligna que representa a força bruta, a imoralidade e a oposição a Deus (Is 30:6; Ap 13:1-18).
[23]Anjo: Mensageiro de Deus (1º Rs 19:5-7). Os anjos são espíritos que servem a Deus e ajudam os salvos (Hb 1:14). Foram criados santos, mas alguns se revoltaram contra Deus (Jd 1:6; 2ª Pe 2:4). Em algumas passagens bíblicas Deus e o Anjo do Senhor são a mesma pessoa (Gn 16:7-13; 22:11-18; Êx 3:2-22; Jz 6:11-24);isso é chamado de Teofania (manifestação visível de Deus).
[24]Voluntário: (Do latim voluntariu) Que se faz ou deixa de fazer, sem coação nem imposição de ninguém; que está em nosso poder ou que depende do nosso livre-arbítrio fazer ou deixar de fazer. Feito espontaneamente, por vontade própria, sem constrangimento ou obrigação.
[25]Casa do Tesouro: A casa do tesouro era uma parte do Templo aonde eram armazenados grãos e outros alimentos entregues como dízimos. Os sacerdotes comiam destas ofertas e não deveriam trabalhar para sobreviver, porque sua obrigação era cuidar dos trabalhos sagrados (Nm 18:20,21).
[26]Fazei prova: Em Malaquias 3:10, a expressão “fazei prova”, originalmente,  não significa literalmente por Deus à prova para Ele mostrar que está dizendo a verdade, mas “provar” aqui significa “experimentar”, “fazer uma tentativa”, ou “realizar um teste”, ou seja: colocar em prática a sua fé para mostrar a você mesmo que Deus é fiel naquilo que promete. Concluindo, essa expressão, em seu sentido original, significa: “experimente”, “faça uma tentativa”, ou “realize um teste”.
[27]Advenha: Derivado do verbo “advir” que significa ocorrer como conseqüência, sobrevir. Acontecer, suceder.
[28]Abastança: Fartura. Vida boa.
[29]Massá: Significa provocação. Local em Refidim e próximo do monte Sinai, onde Deus deu água a Israel (Êx 17:1-7).
[30]Zorobabel: Significa  Semente da Babilônia. Filho de Sealtiel e neto do rei Joaquim (1º Cr 3:17-20; Mt 1:12). Em 1º Crônicas 3:17-20 se diz que Zorobabel era filho de Pedaías e, portanto, sobrinho de Sealtiel. Essa aparente contradição pode ser explicada pelo fato de que possivelmente Sealtiel tenha morrido sem prole. Pedaías casou-se com a viúva, e assim nasceu Zorobabel, que se tornou filho de Sealtiel pela lei do levirato. Ou então a referência em 1º Crônicas é uma outra pessoa, um primo e xará de Zorobabel. Em 538 a.C. Zorobabel voltou do cativeiro na qualidade de governador dos judeus. Restabeleceu o culto e reconstruiu o Templo com a ajuda de Ageu e de Zacarias.
[31]Pináculo: O ponto mais elevado de um edifício, de um monte etc.; cúpula, coruchéu. A parte mais elevada do templo de Jerusalém. O mais alto grau; auge, fastígio. Píncaro, cimo, cume.
[32]Dissolução: Ato ou efeito de dissolver. Desfazer um acordo ou um relacionamento.
[33]Contexto: Conteúdo do texto. Relação entre o texto e a situação em que ele ocorre dentro do texto. É o conjunto de circunstâncias em que se produz a mensagem que se deseja emitir- lugar e tempo, cultura do emissor e do receptor, etc. – e que permitem sua correta compreensão. 
[34]Teologia: (do grego θεóς, transl. theos = “divindade” + λóγος, logos = “palavra”, por extensão, “estudo”), no sentido literal, é o estudo sobre deuses. Porém partindo do princípio da definição hegeliana do termo “Teologia”, a teologia é o estudo das manifestações sociais de grupos em relação às divindades. Como toda área do conhecimento, possui então objetos de estudo definidos.
[35]Herodes: Nome comum de vários reis Idumeus que governaram a Palestina de 37 a.C. até 70 d.C. 1- Herodes, o Grande (37 a 4 a.C.), construiu Cesaréia, reconstruiu o Templo e mandou matar as criancinhas em Belém (Mt 2:1-18). Quando morreu, o seu reino foi dividido entre os seus três filhos: Arquelau, Antipas e Filipe. 2- Arquelau governou a Judéia, Samaria e Iduméia de 4 a.C. a 6 d.C. (Mt 2:22). 3- Herodes Antipas governou a Galiléia e a Peréia de 4 a.C. a 39 d.C. Foi ele quem mandou matar João Batista (Mt 14:1-12). Jesus o chamou de “raposa” (Lc 13:32). 4- Filipe, Tetrarca (rei que governava a quarta parte de um reino) que governou bem, de 4 a.C a 34 d.C., a região que ficava a nordeste do lago da Galiléia, isto é, Ituréia, Gaulanites, Batanéia, Traconites e Auranites (Lc 3:1). 5- Herodes Agripa I governou, de 41 a 44 d.C., toda a Palestina, como havia feito Herodes, o Grande, seu avô. Esse Agripa mandou matar Tiago (At 12:1-23). 6- Herodes Agripa II governou o mesmo território que Filipe havia governado (50-70 d.C.). Paulo compareceu perante esse Agripa (At 25:13-26:32}.
[36]Ética: Conjunto de valores morais que devem ser praticados.
[37]Preceito: Ordem dada para servir como regra geral.
[38]Fanático: Biblicamente falando, é aquele que pensa ser inspirado por Deus (Jr 29:26). Quem se julga inspirado por uma divindade qualquer.  Que, ou o que tem fanatismo. Extraordinária ou supersticiosamente religioso. Que, ou o que se apaixona demasiadamente por uma causa ou pessoa.
[39]Jargão: Linguagem ininteligível ou sem sentido. Língua ou dialeto exóticos que não se entendem. Língua ou dialeto híbridos, oriundos de uma mistura de línguas, tal como uma língua franca. Fraseologia peculiar a qualquer classe, profissão etc. Calão, gíria.
[40]Extra-bíblico: Aquilo que não está na Bíblia e que não está de acordo com os padrões bíblicos.
[41]Bastardo: Filho de pais que não são casados. Os bastardos e seus descendentes, até a décima geração, não faziam parte do povo de Deus (Dt 23:2). Filho ilegítimo. Filho sem direito à herança. Filho que não conhece seus pais.
[42]Gravidade: Seriedade.
[43]Salomão: Significa pacífico. O terceiro rei do reino unido de Israel. Ele reinou de 970 a 93l a.C., em lugar de Davi, seu pai. Sua mãe foi Bate-Seba (2ª Sm 12:24). Salomão foi um rei sábio e rico. Administrou bem o seu reino, construiu o Templo, mas no final da sua vida foi um fracasso.
[44]Vanglória: Presunção mal fundada acerca do próprio merecimento ou de dotes pessoais; bazófia, jactância, vaidade.
[45]Lançar em rosto: Censurar, criticar, reprovar.
[46]Inferno: Lugar e estado de castigo em que os perdidos estão eternamente separados de Deus (Mt 18:8-9; 25:46; Lc 16:19-31; 2ª Pe 2:4; Ap 20:14). Inferno, no Novo Testamento, traduz as palavras hades e geena (Hinom). Mundo dos mortos.

Jonas Martins Olímpio




Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s