Nossas orações só devem ser ouvidas por Deus

Oração é um momento de 
intimidade, um ato de 
intimidade perde o seu valor 
se for visto ou ouvido por 
todos ao seu redor

    Mt 6:6 – Mas tu, quando orares, entra no teu aposento[1] e, fechando a tua porta, ora a teu Pai, que vê o que está oculto; e teu Pai, que vê o que está oculto, te recompensará. Aqui a Palavra está mais do que clara: Ele manda entrar em um quarto isolado, fechar a porta e falar com Deus a sós, pois Ele vê o que está oculto. Isso serve para nos mostrar o quanto a nossa humildade é importante diante do Senhor. Se eu sou um homem de oração, não é preciso todo mundo saber disso. Além do mais, há coisas em nossa vida que só podemos falar mesmo com Deus e com mais ninguém. Imagine se alguém ouvir segredos que estão guardados no profundo do teu coração. Isso seria muito embaraçoso, não é mesmo? Os sentimentos e os pensamentos humanos, na sua grande maioria, são muito confusos, sem sentido, incontroláveis, maldosos e constrangedores. Há coisas que, por mais sinceros que sejamos, não somos obrigados a contar a ninguém, porque o ser humano nem sempre nos entende e dificilmente pode ou quer realmente nos ajudar (Sl 38:8-11[2]). Só há um ser em
todo o universo com quem podemos nos abrir totalmente, pois é Ele quem nos compreende em todos os momentos, conhece profundamente o nosso interior e realmente pode e quer nos ajudar (Sl 139:1,6,7,15,16,24).

Quando temos algo especial a
tratar com o Pai, devemos fazer
isso longe dos olhos e dos ouvidos
astutos de Satanás

    A Palavra nos ensina que além de orar, também devemos vigiar para não cairmos em tentação (Mt 26:41; Lc 21:36). E o tentador, apesar de não ser onisciente[3] igual a Deus, é astuto[4] e está sempre de ouvidos abertos ao que dizemos, para tentar nos confundir com os seus falsos sinais. Nem tudo o que se recebe após uma oração é necessariamente bênção de Deus, por isso como nem todos têm ou fazem uso do dom[5] de discernimento[6] espiritual -o que é uma grande vergonha-, é preciso vigiar para que o inimigo saiba o menos possível a seu respeito. Obviamente, não é o fato de se trancar em um quarto que o impedirá de escutar a sua voz, mas para isso é necessário orar em espírito, assunto sobre o qual falaremos mais adiante em um outro estudo.

É quando estamos em silêncio
que conseguimos ouvir as
respostas

    E, além da humildade e da vigilância, outra razão para falarmos a sós com o Senhor é o fato de essa ser a melhor forma de termos maior intimidade com Ele. Embora possamos ter contato e comunhão com Deus em qualquer lugar e situação, não há melhor maneira de sentirmos a sua presença do que num ambiente isolado, tranqüilo e sossegado: fora do alcance da vista e dos ouvidos de todos. As orações em grupo, principalmente no templo ou em quaisquer outros lugares aonde possam ser realizadas livremente, são muito eficazes e edificantes, mas nada se compara com a liberdade e a confiança que você pode ter quando está a sós com Aquele com quem você quer e pode conversar sobre os seus maiores segredos (Sl 41:9,10). Já imaginou se as suas conversas sobre importantes decisões com o seu cônjuge, sua família, seus amigos, seus credores ou sua liderança ministerial fossem ouvidas por outras pessoas? Isso seria embaraçoso e até mesmo perigoso, não é mesmo? Aonde não há privacidade pode até haver comunhão, pois a comunhão pode ser pública, mas não pode haver intimidade. Se você quer mesmo ter um encontro especial com Deus tem que reservar um momento especial de clamor e adoração[7] que seja somente entre você e Ele (2º Rs 4:32,33).

Quando queremos ser ouvidos
devemos ter um bom
relacionamento com quem
estamos falando. Como está o
seu relacionamento com Deus?

    Tudo o que temos e que ainda teremos é dádiva[8] de Deus. Todos os nossos sonhos e projetos somente se concretizam quando estão dentro de seus propósitos e de acordo com sua permissão (Sl 127:1,2[9]; Jó 1:12; 2:6). Muitas pessoas oram publicamente querendo ser ouvidas pelos homens, esperando receber deles alguma coisa. Mas não podemos deixar que nossas preocupações do dia-a-dia nos façam ser hipócritas perante o Senhor. Ele quer ver a nossa fé, que é a mais pura demonstração de fidelidade e a prova de que cremos e confiamos nEle. Quando passamos pela tribulação calados diante dos homens, elevando o nosso clamor somente ao Senhor, significa que realmente colocamos nossa vida em suas mãos (Sl 37:5) crendo que ele realmente nos ama e quer o nosso bem, e que somente fará o que é melhor para nós. Aqui o Mestre afirma que o nosso Pai que está em oculto nos recompensará, e em algumas outras traduções bíblicas está escrito que Ele nos recompensará publicamente, ou seja: Ele fará com que outras pessoas vejam ou saibam que alcançamos nossos objetivos e que estamos sendo abençoados. Isso quer dizer que se queremos ser vistos ou ouvidos, não precisamos nos exaltar[10] ou usar de todos os meios possíveis para conquistarmos o reconhecimento humano ou nossos demais objetivos. Basta simplesmente mantermos uma vida de comunhão[11] com o Senhor, que Ele próprio se encarregará de nos elevar ao nosso devido lugar, fazendo com que sejamos vistos, conforme a sua boa, perfeita e agradável vontade (Lc 14:8-11[12]). Da mesma forma, todas as obras que fizermos não precisam e nem devem ser anunciadas publicamente (Mt 6:1-4; Lc 14:12,13), mas devem ser vistas apenas por Deus, o qual nos dará a nossa verdadeira e melhor recompensa (Lc 14:14). Pois as pessoas a nossa volta nada mais farão do que elogiar, aplaudir ou tentar retribuir da mesma forma e muitas vezes até com falsidade, fazendo com que nos sintamos importantes com uma glória passageira, sendo que o que o nosso Pai Celestial tem reservado para nós é muito mais do que isso.




[1]Aposento: Casa de residência, moradia, hospedagem. Compartimento de casa, especialmente quarto de dormir.
[2]Propínqüo: Alguém que não está longe. Parente próximo (Sl 38:11).
[3]Onisciência: Atributo pelo qual Deus conhece perfeita e eternamente todas as coisas passadas, presentes e futuras (Sl 147.5; Pv 15.11; Is 46.10).
[4]Astuto: Sagaz, engenhoso, esperto.
[5]Dom: Dádiva, presente, talento, prenda, aptidão, capacidade, habilidade especial, Bem espiritual proporcionado por Deus: graça.
[6]Discernimento: Discernir significa saber a diferença, perceber o verdadeiro significado de algo ou a intenção de alguém com clareza.
[7]Adoração: Culto, honra, reverência e homenagem prestados a poderes superiores, sejam seres humanos, anjos ou Deus  (Sl 96:9). Na Bíblia há quatro etapas de desenvolvimento da adoração a Deus. Os patriarcas adoravam construindo altares e oferecendo sacrifícios  (Gn 12:7-8; 13:4). Em seguida veio a adoração no Tabernáculo e no Templo, com um sistema completo de Sacrifícios. A adoração nas sinagogas começou durante o Cativeiro. Da adoração cristã fazem parte pregação (At 20:7), leitura das Escrituras  (1ª Tm 4:13), oração  (1ª Tm 2:8), louvor  (Ef 5:19) e ofertas (1ª Co 16:1-2), além de batismos  (At 2:37-41) e da ceia do Senhor  (1ª Co 11:23-29).
[8]Dádiva: Dom, presente, donativo.
[9]Sentinela: Guarda, vigia.
[10]Exaltar: Engrandecer, louvar.
[11]Comunhão: Associação com uma pessoa, envolvendo amizade com ela e incluindo participação nos seus sentimentos, nas suas experiências e na sua vivência (1ª Co 1:9; 10:16; 2ª Co 13:13; Fp 2:1; 3:10; 1ª Jo 1:3,6,7). Relacionamento que envolve propósitos e atividades comuns; parceria (At 2:42; 2ª Co 6:14; Gl 2:9; Fm 1:6).
[12]Bodas: Festa de casamento.

Jonas Martins Olímpio

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s