Nosso descanso não é aqui

O maior prazer na vida de 
um crente deve ser anunciar 
as Boas Novas, e não apenas 
usufruir de suas bênçãos!

    Em todas as empresas ou em qualquer outro ambiente de trabalho, é comum os funcionários passarem o dia olhando para o relógio, contando os minutos, esperando a hora de parar de trabalhar. Impressionante é que isso está acontecendo com muitos de nós, no que se refere à obra do Senhor de uma forma geral. Parece que muitos estão cansados e que o salário e os benefícios oferecidos já não são suficientes para lhes motivar a trabalhar melhor… É como se já tivessem feito demais para o seu “Patrão”. E o mais interessante é que nunca se esquecem de cobrá-lo pelos seus “direitos”, muitas vezes, como se estivessem sendo injustiçados. Diante dessa situação só posso dizer uma coisa: “É hora de acordarmos!” Lendo a Bíblia, aprendi que quando paramos, estamos sujeitos à corrupção, e ela destrói (Mq 2:10). Por isso muitos crentes estão à beira da derrota. Porém não admitem isso nem para si mesmos!

Jesus Cristo fez por nós muito
mais do que qualquer coisa que
possamos fazer por Ele, e não
se deixou abater pela dor, pelo
cansaço e pelas decepções

    Será que estou exagerando? Então vamos nos auto-analisar com
calma: faça um relatório de todas as suas atividades nesses últimos três dias tentando se lembrar de tudo o que for possível… Lembrou? De todas as coisas que conseguiu se lembrar, quantas delas foram feitas pra Deus? Agora, analisando apenas entre as coisas que você fez pra Deus -caso realmente você tenha feito… Seja sincero consigo mesmo!-, reflita e responda: Isso foi o máximo possível que poderia ser feito pela obra do Senhor, ou será que poderia ter sido melhor se houvesse um pouco mais de esforço de sua parte? Saiba que por mais que fizermos, ainda estaremos em débito com o nosso Mestre (Lc 17:10), pois o sacrifício que Ele fez fez por nós naquela cruz não há moeda, peso de ouro, valor monetário ou obras com as quais possamos pagar. No entanto, somente o que Ele requer de nós é a nossa obediência (1ª Sm 15:22).

Muitos encaram a obra de
Deus como se ela fosse 
um 

grande peso e não como um 
privilégio

    Continuando nossa auto-análise, observando as pessoas a minha volta e, também, é claro, a minha própria vida, cheguei à seguinte conclusão: Muitos crentes estão, lamentavelmente, dominados por um malígno “stress espiritual” o qual lhes dá uma terrível sensação de cansaço quando são solicitados a fazer algo em pról do Evangelho. Certamente, você pode estar se perguntando: Como é que eu sei que esse stress não é simplismente um problema físico e psicológico que afeta a maioria das pessoas devido aos seus inúmeros compromissos da vida cotidiana e não um malígno ataque de Satanás contra nossa vida espiritual? A resposta é simples e objetiva: O que é mais fácil ou agradável? Passear no shopping ou evangelizar? Assistir a um clássico de futebol ou ir a um Culto de Oração? Rir de uma “boa” piada maliciosa ou dizer aos piadistas que Deus não se agrada de atos pecaminosos que pra eles são motivos de brincadeira, como o adultério, por exemplo? Ficar quatro horas jogando conversa fora com algum desconhecido no Orkut e no MSN ou ir a Escola Bíblica Dominical? Pedir ajuda a um ímpio diante de uma situação difícil ou passar o dia orando e jejuando para obter uma solução de Deus? Aos que responderam com absoluta sinceridade a essas perguntas, obviamente a primeira alternativa de cada uma delas foi a opção mais viável. Pois a carne se opõe ao espírito (Gl 5:17) e, muitas vezes, lastimavelmente ela tem vencido. Nosso corpo pede que satisfaçamos seu próprio prazer, pois essa é a tendência natural da carne (Rm 8:6), enquanto aquilo que satisfaz ao espírito, mesmo que exija menos esforço físico nos parece ser desagradável e não desperta nosso interesse. Porém, somente ao crente que anda realmente em espírito é possível não cumprir as concupiscências (desejos) da carne (Gl 5:16). Baseado nesses fatores, me vejo no direito de ter a ousadia de dizer que esse stress (não os stresses de um modo geral) não é simplismente um problema físico e psicológico que afeta a maioria das pessoas devido aos seus inúmeros compromissos da vida cotidiana e sim um malígno ataque de Satanás contra nossa vida espiritual, pois essa é a missão dele (Jo 10:10).

Muitos “servem” a Deus
apenas para satisfazerem
seus próprios interesses e
quando percebem que não
é dessa forma que Ele
trabalha se sentem
decepcionadas e abatidas
pelo cansaço de tudo o
que fizeram em vão

    Agora, quanto ao que se refere a fazer melhor nosso trabalho na obra do Senhor, é lamentável o que temos visto nos últimos dias: Muitos “fazem a obra” com o mero objetivo de satisfazer seus desejos e necessidades pessoais, como por exemplo: Fama (cantores, pregadores animadores de púlpito, “curadores”, etc), poder (líderes ministeriais querendo exercer autoridade sobre o povo), reconhecimento (obreiros que querem crescer ministerialmente) e, principalmente, bênçãos materiais (dinheiro, emprego, casa, carro, causas na justiça, etc), físicas (curas, estética…) e sentimentais (namoro e casamento) (Mt 6:24)… Devo ainda ressaltar que não é proibido pedir a Deus nenhuma das tais bênçãos que citei aqui, pois Ele pode nos dar muito mais do que isso e nos ensina a pedir. Portanto, o mais importante é termos a plena consciência de que não é simplesmente para isso que o servimos. Pois muitas pessoas fazem algo na Casa de Deus e quando não alcançam seus objetivos pessoais se sentem frustradas e chegam até mesmo a desistir de suas responsabilidades espirituais e, o que é ainda pior, se desviar do Caminho e, conseqüentemente, perder a salvação. Em muitos casos, o crente não recebe algo de Deus por que suas atitudes não têm sido sinceras diante Dele (Sl 101:6); pois até para pedir, devemos estar em condições de receber (Sl 34:15). Pois Ele conhece nosso coração e não há como enganá-lo com nossa aparência ou comprá-lo com nossas obras. E não adianta cobrá-lo, pois Ele não nos deve nada, muito pelo contrário, nós é que Lhe devemos, e muito! Muitíssimo mesmo (Ef 5:2; 1º Jo 4:19)!

Descansar no Senhor é
ter paz mesmo em meio as
tempestades da vida por
saber que por pior que
esteja a situação, Ele é
quem está no controle do
barco

    Obviamente, temos que entender que quando Deus disse através do profeta Miquéias que o nosso descanso não é aqui, ele não estava dizendo que deveríamos estar a disposição da igreja 24 horas por dia (Ec 9:10), mas sim que deveríamos estar sempre alertas e dispostos a fazer a sua vontade em qualquer situação, e também que jamais viéssemos a nos acomodar e achar que já fizemos o suficiente pelo Evangelho. Resumindo, Ele nos dá a entender claramente que o nosso verdadeiro descanso será realmente naquele grande dia em que partirmos eternamente para o seu Reino de Glória, pois enquanto estivermos nessa terra continuaremos sujeitos a todas as adversidades e angústias existentes nesse mundo (Ec 7:13-15). Logicamente, temos o direito -e também o dever- de fazer as demais coisas em nossa vida secular, pois, afinal de contas, somos seres humanos normais e não há como vivermos aqui como se já estivéssemos no céu e, além do mais, somos mordomos de tudo aquilo o que Ele nos deu e temos que viver do trabalho de nossas mãos (Sl 128:1-4; Pr 16:25; 28:19), e temos também direito de desfrutar de momentos de lazer (Ec 9:7-9). Portanto, nossos prazeres pessoais e nossas responsabilidades cotidianas não podem, de maneira nenhuma, interferir em nossa comunhão com o Espírito Santo de Deus (1ª Co 7:35).

O tempo está passando
e não volta atrás, você não
acha que já é hora de
acordar?

    Para concluir nossa auto-análise, nunca se esqueça disso: A maior prova de que somos verdadeiramente gratos a Deus e o amamos de coração é quando procuramos fazer sempre o melhor para Ele. E saiba que por mais que você esteja se esforçando, sempre é possível melhorar ainda mais. E pode ter a absoluta certeza de uma coisa: Depois que você fizer o melhor na obra do Senhor, sabe o que você vai descobrir? Que aquilo que você fez melhor, podereia ter sido melhor ainda! Isso mesmo! Por mais que façamos, nada será o suficiente perto do que Ele realmente merece! E é por isso que a Bíblia nos ensina claramente que só podemos ser salvos pela graça e não pelo merecimento (Ef 2:1-10). Portanto, devemos andar com temor e sabedoria tendo a plena convicção de que estamos no meio de uma longa caminhada e não podemos parar porque o nosso descanso não é aqui (Lc 22:46)!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s